Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

1 Na passada sexta-feira, 5 de Março, completaram-se 75 anos sobre o célebre discurso de Winston Churchill sobre a “Cortina de Ferro”, no Westminster College, em Fulton, Missouri, na presença do Presidente Truman, em 1946. Ficaram inesquecíveis as palavras de Churchill denunciando a ditadura soviética após a vitória sobre o nazismo:

“De Stettin no Báltico a Trieste no Adriático, uma cortina de ferro está a descer através do Continente [europeu]. Por detrás dessa linha ficam todas as capitais dos antigos Estados da Europa central e oriental. Varsóvia, Berlim, Praga, Viena, Budapeste, Belgrado, Bucareste e Sofia, todas estas famosas cidades e a população em seu redor estão no que devemos chamar a esfera soviética, e todas estão sujeitas, de uma forma ou de outra, não apenas à influência soviética mas a um muito elevado e, nalguns casos, crescente controlo de Moscovo.
[…] Quaisquer que sejam as conclusões a retirar destes factos — e de factos se trata — esta não é certamente a Europa Libertada que nós lutámos por construir. Nem ela contém os ingredientes essenciais de uma paz permanente.”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.