Rádio Observador

União Europeia

UE diz que mecanismo para comércio com Irão mostra “compromisso” com acordo nuclear

Paris, Londres e Berlim prometeram a Teerão encontrar um mecanismo para manter as trocas comerciais com o país, permitindo que o Irão continuasse a vender petróleo e a importar outros produtos.

Estão a ser criados mecanismos para continuar a negociar com o Irão, apesar das sanções dos EUA após a retirada de Washington do acordo sobre o programa nuclear iraniano

HANS PUNZ/EPA

O Reino Unido defendeu esta quinta-feira, em conjunto com a França e a Alemanha, que o mecanismo criado por estes países para trocas comerciais com o Irão mostra “o compromisso firme” da União Europeia (UE) com o acordo nuclear.

“Hoje estamos a anunciar o passo significante que demos no estabelecimento de um compromisso com o acordo nuclear firmado com o Irão, que vai permitir retirar as sanções aplicadas àquela população”, declarou ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Jeremy Hunt, em Bucareste, na Roménia, onde estão reunidos até sexta-feira os chefes da diplomacia da UE.

Aludindo ao novo mecanismo europeu, que surge na sequência da decisão dos Estados Unidos de abandonarem o acordo nuclear, o responsável britânico vincou que este instrumento vai “apoiar e retomar” as trocas comerciais com o Irão. Jeremy Hunt falava junto dos seus homólogos francês e alemão, Jean-Yves Le Drian e Heiko Maas, respetivamente.

Esta é uma demonstração clara de que continuamos firmemente comprometidos com o acordo nuclear de 2015 firmado com o Irão”, acrescentou

O governante britânico sublinhou que se trata de “um grande passo, mas ainda há muito trabalho a ser feito”, pelo que estes três países e o Irão estão a “trabalhar de perto os aspetos legais do mecanismo para o pôr em funcionamento, incluindo estabelecer as necessárias contrapartidas estruturais”. O chefe da diplomacia britânica salientou: “somos claros e este compromisso não nos detém de condenar as atitudes hostis do Irão”.

A reunião informal dos chefes da diplomacia da UE, que termina sexta-feira, decorre no palácio do Banco Nacional da Roménia, numa altura em que a Presidência da UE é assumida por este país.

Mecanismo da UE para negociar com o Irão é uma “primeira etapa”

Teerão qualificou esta quinta-feira de “primeira etapa” o novo mecanismo lançado pela União Europeia (UE) para continuar a negociar com o Irão apesar das sanções norte-americanas na sequência da retirada de Washington do acordo sobre o programa nuclear iraniano.

“O canal de comunicação financeira”, que será esta quinta-feira oficialmente divulgado, é “a primeira etapa no âmbito dos compromissos assumidos pelos europeus em relação ao Irão”, que se espera “sejam totalmente cumpridos e não apenas em parte”, declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Abbas Araghchi, citado pela agência oficial Irna.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou em maio a sua decisão unilateral de retirar os Estados Unidos do acordo internacional sobre o nuclear de 2015 e de restabelecer sanções económicas contra o Irão.

O acordo nuclear foi assinado entre o Irão e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, além dos Estados Unidos, o Reino Unido, França, Rússia e China, mais a Alemanha, e os restantes signatários do acordo mantiveram o compromisso com Teerão.

Paris, Londres e Berlim prometeram a Teerão encontrar um mecanismo para que as trocas comerciais com o país se pudessem manter, permitindo nomeadamente que o Irão continuasse a vender petróleo e a importar outros produtos ou serviços necessários à sua economia.

A Alta Representante da UE para a Política Externa, Federica Mogherini, deu esta quinta-feira as “calorosas boas-vindas” ao mecanismo que será divulgado pela Alemanha, França e Reino Unido, visando facilitar as transações financeiras e a venda de petróleo iraniano.

Realçando a “componente económica” desta iniciativa, Federica Mogherini notou que este mecanismo possibilitará que “as relações comerciais legítimas continuem”. “A UE apoia totalmente a aplicação do acordo nuclear com o Irão pela simples razão de já termos visto que resulta”, declarou a Alta Representante da UE.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)