Paulo Tunhas

Colunista

paulotunhas@observador.pt

Nasci a 18 de Maio de 1960. Licenciei-me em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e doutorei-me, também em Filosofia, pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris. Sou professor no Departamento de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e investigador no Instituto de Filosofia da mesma Universidade. Publiquei, entre outros livros, Impasses, ver mais... seguido de Coisas vistas, coisas ouvidas, em colaboração com Fernando Gil e Danièle Cohn (Europa-América), O Essencial sobre Fernando Gil (Imprensa Nacional/Casa da Moeda), O pensamento e os seus objectos. Maneiras de pensar e sistemas filosóficos (Edições da Universidade do Porto) e As questões que se repetem. Uma breve história da filosofia, em colaboração com Alexandra Abranches (D. Quixote). Na imprensa, colaborei regularmente, entre outros lugares, na revista Atlântico (2005-2008) e no jornal i (2009-2010).

Ambiente

Frango à Covan /premium

Paulo Tunhas

Para uma vasta parte da humanidade ocidental, nada há de mais apetecível do que um certo sentimento de culpa própria. Por estranho que pareça, esse sentimento comporta um notório benefício narcísico. 

PS

O conteúdo do socialismo /premium

Paulo Tunhas

Deixando António Costa de lado para não lhe atribuir pensamentos que poderão não ser os dele, conheço muitos votantes PS que nutrem especial carinho pela ideia de revolução.

123
Política

“Eles” /premium

Paulo Tunhas

“Eles” lá sabem o que fazem e alguma razão desconhecida haverá para se julgarem colectivamente a última e decisiva barreira contra o famigerado “populismo”.

Extrema Esquerda

Os incorrigíveis /premium

Paulo Tunhas

Mesmo símbolólica, o desejo da morte do outro (Bolsonaro), tem ilustre e documentada tradição: representa o desprezo revolucionário pelo outro, a redução do outro ao não-humano e está nos genes do BE.

138
Liberdades

O medo da liberdade /premium

Paulo Tunhas

O que esta nova esquerda busca não se reduz ao desenvolvimento de um Estado tutelar. É algo que visa a perfeita eliminação da sociedade como realidade distinta do Estado. Basta ouvir Catarina Martins.

268
Paris

A janela de Victor Hugo /premium

Paulo Tunhas

Notre-Dame é algo perfeitamente identificável por toda a gente. Dito de outra forma: num indivíduo que todos conhecemos. E o fogo confrontou-nos com a possibilidade de assistir em directo à sua morte.

Governo

Casos de família /premium

Paulo Tunhas

"Vou declarar que no governo, por definição, não há família; que ela está toda na oposição. Em política, o que importa são as definições. E é ao primeiro-ministro que cumpre definir: é o que o define"

Justiça

Nada de novo sob o sol /premium

Paulo Tunhas

O ridículo – que variará em perigosidade para os indivíduos que têm o azar de serem objecto de acordãos destes – continuará por aí, sempre alargando o seu “espaço de enunciação” e muito contente de si

Crónica

Levá-los a sério? /premium

Paulo Tunhas

Até que ponto vale a pena levar as coisas a sério quando tudo parece uma farsa generalizada em que a classe política parece sobretudo interessada em não nos fazer o favor de se preocupar connosco?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)