Bom, agora é aguardar quatro mesinhos pelas eleições. Ouvi várias pessoas indignadas com esta espera, mas para mim o único problema com a data escolhida pelo Presidente da República para o sufrágio é o facto de ser demasiado em breve. Ou melhor, para ser mais correcto, o meu problema com a data das próximas legislativas é existir uma. Quantas vezes a expectativa de termos um governo novo redundou na eleição de um executivo que realmente tenha trabalhado até muito bem?

De repente não vos ocorre nenhuma resposta, não é? Pois, está longíssimo de comprovado que, entre o deve e o haver, o contributo da esmagadora maioria dos governos que já colocámos à frente dos destinos de Portugal tenha sequer ficado a menos de vários anos-luz de positivo. Aliás, entre os tais deve e haver, o único resultado garantido é mesmo o país ter ficado a dever cada vez mais.

Quer isto dizer que estou pouco entusiasmado com as eleições de 10 de Março? Nada disso. Quer dizer, isso sim, que finda a legislatura do próximo governo tenho cerca de 98,7% de certeza que a Bulgária já nos ultrapassou em termos de PIB per capita. O que se revelará bastante deprimente, mas ainda assim menos deprimente do que continuarmos a acreditar que será das mentes brilhantes dos nossos políticos que sairão soluções geniais para tirar Portugal desta condição abjecta.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.