420 km/h num automóvel homologado para circular em estrada é uma violência. Atingir este valor em estrada aberta é quase um suicídio e, mesmo em pista, não há muito locais onde seja possível levar um monstro como o Bugatti Chiron, similar ao que possui o futebolista português Cristiano Ronaldo, a ultrapassar folgadamente a barreira dos 400 km/h.

Para mostrar como é, a Bugatti emprestou um Chiron Sport à Top Gear, cedendo-lhe igualmente as chaves que permitem ao modelo francês ser conduzido no modo de condução high speed, que permite levá-lo à velocidade máxima. E note que não estamos a referir-nos à velocidade máxima passível de ser atingida pelo veículo, mas sim pelos pneus com que está equipado, que o limitam a 420 km/h.

O único fabricante de pneus que produz equipamento para atingir esta velocidade é a Michelin, que entretanto deverá ter disponíveis, ainda este ano, uma nova versão capaz de ser homologada para rodar a 500 km/h. Além do esforço produzido pela carga aerodinâmica, o aquecimento da carcaça e da borracha do pneu é brutal.

O teste teve lugar na pista de Nardo, cujo anel de velocidade é conhecido por permitir velocidades astronómicas. O modelo utilizado, o Chiron Sport, é basicamente a versão normal do Chiron mas com suspensões 10% mais duras, diferencial traseiro com diferente afinação e sistema de estabilização por torque vectorial recalibrado.

Animado pelo 8.0 W16 quadriturbo com 1.500 cv, o Bugatti provou ser capaz de rodar a 350 km/h com a mesma facilidade que os automóveis normais atingem 120 km/h. Para depois, se solicitado a fundo, atingir os 420 km/h a que está limitado electronicamente. E a esta velocidade, tudo se passa terrivelmente depressa…