Dark Mode 75 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

i

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

79 dias e 149 polémicas até à Assembleia Geral decisiva: a cronologia da crise no Sporting /premium

Tudo começou a 5 de abril. Tudo culmina este sábado, 23 de junho. A crise do Sporting teve pontos, vírgulas, pontos e vírgulas e muitas reticências. A cronologia de 79 dias de polémicas.

    Índice

    Índice

A tão debatida, anunciada, reiterada e negada Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal acontece este sábado, dia 23 de junho. E pode ser o dia decisivo que coloca um fim – ou, pelo menos, um ponto e vírgula – aos 79 dias de crise do Sporting. Tudo começou a 5 de abril, quando a equipa perdeu com o Atlético de Madrid na Liga Europa e os jogadores foram duramente criticados pelo presidente. Depois de uma qualificação tirada a ferros para a final da Taça de Portugal, tudo parecia contudo amenizado e ultrapassado. Mas a equipa de Alvalade foi derrotada pelo Marítimo na última jornada do campeonato e aí perdeu também o segundo lugar do campeonato e o acesso à Liga dos Campeões. E começou o verdadeiro furacão.

Houve primeiro ameaças no aeroporto da Madeira, depois tentativas de agressão a jogadores nas garagens de Alvalade e a seguir reuniões entre presidente, treinador e futebolista. A guerra instalada rebentou no dia 15 de maio, quando cerca de 50 adeptos invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, e agrediram vários jogadores do plantel e do corpo técnico. Foi a ruptura. Seguiram-se demissões, rescisões e comissões – fiscalizadora, de fiscalização, de transição e de gestão. Jaime Marta Soares tornou-se o cabecilha de uma oposição a Bruno de Carvalho que parece estender-se a grande parte dos adeptos. Mas será que é mesmo assim? As dúvidas terminam este sábado.

As (profundas) raízes da crise: da derrota em Madrid à corrupção no andebol

Getty Images

5 de abril de 2018, 23h25

O Sporting perdeu com o Atlético de Madrid por 2-0. Bruno de Carvalho não se deslocou a Madrid por estar prestes a ser pai, mas nem por isso deixou de ser notícia. Primeiro, antes do jogo da Liga Europa, deu uma entrevista à agência EFE, onde garantiu (mais uma vez) a continuidade de Jorge Jesus no comando técnico dos leões na próxima temporada: “Um projeto é mais que um jogo ou que um resultado, é uma filosofia e um caminho que temos de percorrer. Claro que queremos ganhar tudo e queríamos ser campeões, mas um projeto não se interrompe por causa de um jogo ou de um mau resultado”, destacou, antes de “dar a tática” para a primeira mão dos quartos de final da prova: “Em vez de serem 11 em campo, teremos de ser 22. Foi o que disse aos jogadores. Temos de nos desdobrar, fazer o dobro”.

Mas depois tudo se precipitou. O presidente resolveu fazer a sua crónica do jogo com críticas duríssimas à exibição dos jogadores.  “De 11, em vez de 22 como queria, fomos nove, muitas vezes, e isso paga-se caro…”, escreveu o presidente leonino na sua página de Facebook. “Viver um jogo de longe custa muito mais, mas ver erros grosseiros de jogadores internacionais e experientes ainda acrescenta mais ao sofrimento”, acrescentava ainda. Era uma bomba!

“Em vez de 11, fomos nove”. Bruno de Carvalho faz a sua “crónica” e critica vários jogadores do Sporting

6 de abril de 2018, 17h30

Rui Patrício e William de Carvalho foram os primeiros a reagir, mas grande parte do plantel subscreveu a mensagem dos dois capitães para se defender das críticas de Bruno de Carvalho: “Em nome de todo o plantel do SCP, espelhamos neste texto o nosso desagrado, por vir a público as declarações do nosso Presidente, após o jogo de ontem, no qual obtivemos um resultado que não queríamos… a ausência de apoio, neste momento…, daquele que deveria ser o nosso líder. Apontar o dedo para culpabilizar o desempenho dos atletas publicamente, quando a união de um grupo se rege pelo esforço conjunto, seja qual for a situação que estejamos a passar, todos os assuntos resolvem-se dentro do grupo”. Estava cavado o primeiro grande fosso entre o plantel e o presidente. No jogo seguinte, para a Liga, frente ao Paços de Ferreira, Bruno de Carvalho viu lanços brancos na bancada e ouviu assobios. Nenhum jogador festejou com ele a vitória. Saiu do banco curvado por uma alegada crise aguda de dores nas costas. Ainda falou aos jornalistas antes de Jesus ter dito que estava sempre do lado dos jogadores.

13 de maio de 2018, 20h04

A tensão aumentou (ainda mais) depois de o Sporting ter perdido na Madeira frente ao Marítimo na última jornada do campeonato. Era uma partida preponderante para os leões não descerem para o terceiro lugar da Primeira Liga e para garantirem um lugar na milionária Liga dos Campeões. Ainda no aeroporto do Funchal, um grupo de adeptos estava à espera do plantel verde e branco. Os apoiantes – destacando-se Fernando Mendes, antigo líder da Juventude Leonina – interpelaram os jogadores mas os ânimos acabaram por ser serenados pela Polícia de Segurança Pública. Já em Lisboa, a comitiva sportinguista foi novamente escoltada pela polícia desde o Aeroporto de Figo Maduro até ao Estádio de Alvalade, sempre debaixo de assobios e fortes insultos dos adeptos descontentes com a exibição da equipa frente ao Marítimo.. Nessa mesma madrugada, vários adeptos do Sporting tentaram agredir Rui Patrício e William Carvalho no interior das garagens do Estádio de Alvalade. Os agressores acabaram por não conseguir chegar aos dois capitães leoninos graças à intervenção dos restantes jogadores da equipa. Patrício, William e o resto do plantel verde e branco abandonaram o estádio acompanhados por um forte dispositivo policial que estava posicionado na rua.

15 de maio de 2018, 13h28

O Correio da Manhã publica uma reportagem sobre um alegado esquema de corrupção no andebol do Sporting, que terá subornado jogadores adversários para se sagrar campeão nacional na modalidade envolvendo o team manager do clube, André Geraldes. O Sporting reagiu nessa mesma tarde, negando qualquer tipo de ilícito na conquista que quebrou um longo jejum de 16 anos sem o principal título. E destacou estar a ser vítima de uma campanha orquestrada: “Estamos perante o primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição Sporting, a qual se estenderá, já o sabemos, a todas as modalidades do Clube. Repudiamos de forma veemente estas notícias, o modo como são construídas e a intenção que lhes está associada. De igual modo, não nos revemos em qualquer prática que desvirtue a verdade desportiva ou que sejam ética, moral e socialmente censuráveis”, referiram os leões em comunicado.

O que revelam mesmo as mensagens trocadas no WhatsApp que colocaram a PGR a investigar o Sporting

Nessa mesma madrugada, vários adeptos do Sporting tentaram agredir Rui Patrício e William Carvalho no interior das garagens do Estádio de Alvalade. Os agressores acabaram por não conseguir chegar aos dois capitães leoninos graças à intervenção dos restantes jogadores da equipa. Patrício, William e o resto do plantel verde e branco abandonaram o estádio acompanhados por um forte dispositivo policial que estava posicionado na rua. 

O ataque à equipa sportinguista em Alcochete e a bola de neve

15 de maio de 2018, 18h04

Um grupo de mais de 50 adeptos de cara tapada, armados com facas, bastões e cintos invadiu a Academia do Sporting, em Alcochete. Chegaram primeiro ao relvado e agrediram jogadores como Bas Dost, Misic e Battaglia e o treinador Jorge Jesus. O avançado holandês ficou com a cabeça aberta em dois sítios e teve de levar pontos. O médio argentino também ficou ferido. Os adeptos danificaram também as instalações e destruiram várias infraestruturas e carrros, através do lançamento de tochas. Nenhum segurança abordou o grupo de adeptos e estes saíram igualmente sem qualquer escolta.

15 de maio de 2018, 18h09

O Sporting emitiu um comunicado a repudiar incidentes dessa tarde: “O Sporting Clube de Portugal repudia de forma veemente os acontecimentos registados hoje na Academia Sporting. Não podemos de forma alguma pactuar com actos de vandalismo e agressão a atletas, treinadores e staff do Futebol Profissional, nem com atitudes que configuram a práctica de crime que em nada honram e enobrecem o Sporting Clube de Portugal. O Sporting não é isto, o Sporting não pode ser isto. Tomaremos todas as diligências no sentido de apurar cabais responsabilidades pelo que aconteceu e não deixaremos de exigir a punição de quem agiu desta forma absolutamente lamentável”.

15 de maio de 2018, 19h34

Entre 20 e 30 dos elementos dos 50 que atacaram o plantel do Sporting foram identificados, detidos e levados para as instalações da Guarda Nacional Republicana em Alcochete. A operação de busca – que inclui os núcleos de investigação criminal de Setúbal e Almada – demorou horas. Quando Bruno de Carvalho chegou à ala do futebol profissional do centro de estágios, os jogadores abandonaram o local e recusaram falar com o presidente e com o team manager André Geraldes.

As longas 96 horas que envergonham o Sporting

Um grupo de mais de 50 adeptos de cara tapada armados com facas, bastões e cintos invade a Academia do Sporting, em Alcochete. Chegaram primeiro ao relvado e agrediram jogadores como Bas Dost, Misic e Battaglia e o treinador Jorge Jesus. O avançado holandês abriu a cabeça em dois sítios e teve de levar pontos. O médio argentino também ficou ferido. 

As reações ao ataque de Alcochete

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

15 de maio de 2018, 20h21

José Maria Ricciardi foi dos primeiros a a reagir às agressões aos jogadores do Sporting. Em declarações à CMTV, disse que os atos de violência foram permitidos “com total incúria pela administração da SAD”: “A atual direção não tem condições para continuar”, defendeu Ricciardi, que apoiou Bruno de Carvalho na fase inicial do mandato, mas que apresentou a demissão do Conselho Leonino em abril, em rota de colisão com o presidente. Entretanto, a Procuradoria-Geral da República começou a investigar as agressõe.

15 de maio de 2018, 21h02

O presidente dos Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, Joaquim Evangelista, afirmou que o Sporting “não soube evitar e garantir as condições de segurança”, referindo que os atletas estav am “muito abalados”. Evangelista defendeu ainda que os jogadores estavam “inseguros e convencidos que não têm condições para exercer a sua profissão”. “Apelamos às autoridades e ao Sporting que restabeleça as condições de segurança para os profissionais de futebol e equipa técnica. Choca-me ver jogadores agredidos. Vi as imagens do Bas Dost e falei com os jogadores e o sentimento comum é de revolta e de insegurança. Psicologicamente os jogadores estão muito fragilizados”, afirmou. Estava aberta a porta para posssíveis rescisões. Chegou a falar-se numa possível rescisão colectiva e a ausência da equipa na final da Taça, frente ao Desportivo das Aves.

15 de maio de 2018, 21h22

A Federação Portuguesa de Futebol também repudiou os atos de violência ocorridos na Academia do Sporting, em Alcochete, apelando à punição dos responsáveis pelos atos criminosos.

As oito frases chave de José Maria Ricciardi: o pedido de demissão, a retirada de apoio e a candidatura à presidência do Sporting

O presidente dos Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol, Joaquim Evangelista, afirmou que o Sporting “não soube evitar e garantir as condições de segurança”, referindo que os atletas estão “muito abalados”. 

A polémica do “foi chato”

JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

15 de maio de 2018, 22h01

Bruno de Carvalho falou sobre o ataque a Alcochete na Sporting TV já ao final da noite. O problema foi a escolha de palavras: “Foi mau, foi chato ver as famílias ligarem preocupadas. O crime faz parte do dia a dia e tem de ser punido no local certo. As autoridades devem tirar conclusões não sobre o Sporting mas pela sua inércia”, destacou Bruno de Carvalho. Sobre as desconfianças de que poderia estar por detrás do ataque, o presidente do Sporting respondeu: “O meu modus operandi não é ver os meus jogadores e o meu staff agredidos, são a família que escolhi. Que interesse teria o Sporting com isto? Percebia-se o quê? Se tivermos de fazer melhorias na segurança da Academia iremos fazer, vamos averiguar. As pessoas estão a aproveitar, muito aproveitamento do Sporting que é muito triste. Há dois ou três meses aconteceu o mesmo em Guimarães, são sempre atos reprováveis, apesar de ser mais fácil bater no Sporting. Isto é sempre de condenar em todo o lado vamos fazer o possível para que não se repita. No caso de serem associados do clube vamos agir, no resto é a Justiça a fazer o seu trabalho. Isto é um caso de polícia, não é desportivo. Felizmente a polícia atuou de forma rápida e bem”, prosseguiu o presidente leonino. Para Bruno de Carvalho, o jogo da Taça não estava posto em causa: “Os jogadores estão tristes com o que aconteceu mas querem jogar”.

As sete frases chave de Bruno de Carvalho em reação às agressões em Alcochete

15 de maio de 2018, 22h31

O Governo também repudiou os incidentes na Academia do Sporting e adjetivou-os de “atos de vandalismo e criminosos”. Numa declaração conjunta da secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, e o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, o Governo confirmou a detenção de 21 adeptos presumivelmente envolvidos.

16 de maio de 2018, 02h40

Os acontecimentos na Academia de Alcochete encaixam no crime de terrorismo segundo o penalista Rui Pereira, ex-ministro da Administração Interna, ex-diretor do SIS e ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo. “Na minha perspetiva, é difícil recusar a classificação de acto terrorista, em termos jurídico-penais, do que fizeram estes adeptos que são verdadeiros energúmenos”, declarou na CMTV. Citando a lei anti-terrorista aprovada em 2003, depois dos atentados do 11 de Setembro, Rui Pereira chamou a atenção para o seu artigo 4º, que se aplica a quem intimidar certas pessoas mediante crime contra a vida, a integridade física ou a liberdade. “Nós temos aqui um conjunto de indivíduos que se decidiram a concertadamente praticar crimes contra a integridade física e a liberdade dos atletas para os intimidar e os obrigar a um certo comportamento. Não se pode excluir de maneira nenhuma a hipótese de haver aqui um crime de terrorismo”, justificou, frisando que para tal não é necessário que exista uma organização terrorista.

16 de maio de 2018, 08h24

Os futebolistas ponderam acusar Bruno de Carvalho por “autoria moral” dos ataques segundo os jornais A Bola e o Diário de Notícias, e mantêm a possibilidade de avançarem com uma rescisão contratual em bloco alegando justa causa, por faltarem condições psicológicas para desempenhar o seu trabalho.

16 de maio de 2018, 08h26

O treinador Jorge Jesus cancelou o treino que estava previsto para de manhã devido ao “massacre, físico e psicólogico, a que a equipa foi sujeita”. Seria o primeiro treino da semana — segunda-feira fora dia de folga e o treino anterior também já tinha sido suspenso — a quatro dias da final da Taça de Portugal, frente ao Desportivo das Aves.

16 de maio de 2018, 08h35

A Juventude Leonina reagiu aos acontecimentos em Alcochete, lamentando o sucedido, mas rejeitando responsabilidades ou qualquer tipo de envolvimento nos ataques aos futebolistas e equipa técnica do Sporting. Em comunicado publicado no Facebook, falaram dos “lamentáveis factos ocorridos na Academia do Sporting Clube de Portugal” e esclareceram que “a Juventude Leonina é a claque mais antiga de Portugal e merece total respeito, não podemos também admitir os ataques que nos têm sido feitos lá porque aparece uma pessoa com camisola da claque”.

Sobre as desconfianças de que Bruno de Carvalho poderia estar por detrás do ataque, o presidente do Sporting respondeu: "O meu modus operandi não é ver os meus jogadores e o meu staff agredidos, são a família que escolhi. Que interesse teria o Sporting com isto? Percebia-se o quê? Se tivermos de fazer melhorias na segurança da Academia iremos fazer, vamos averiguar".

As consequências legais do ataque a Alcochete

16 de maio de 2018, 09h06

A Polícia Judiciária fez buscas na investigação à alegada corrupção desportiva, mais concretamente, à compra de árbitros no andebol. O Observador revelou que as buscas à SAD do Sporting podem também estar associada a pelo menos suspeitas de corrupção no futebol. A Operação Cashball faz três detidos: Paulo Silva (o intermediário do alegado esquema de corrupção), João Gonçalves (o interlocutor entre André Geraldes e Paulo Silva) e Gonçalo Rodrigues (funcionário do Sporting que pediu a suspensão de funções). A quarta detenção estava a ser ultimada e visava André Geraldes, o ex-responsável pelas modalidades do Sporting e team manager da equipa de futebol profissional.

16 de maio de 2018, 13h02

A Guarda Nacional Republicana oficializa que fez 23 detenções desde 15 de maio relacionadas com os ataques a Alcochete. Depois de uma descrição sobre a atuação das autoridades em Alcochete, a GNR conclui: “No total, foram detidos 23 suspeitos, apreendidas 5 viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolhidos depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube”.

Sporting. As imagens da chegada dos agressores ao Tribunal do Barreiro

No total, foram detidos 23 suspeitos, apreendidas 5 viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolhidos depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube. 

Todos os dedos apontados a Bruno de Carvalho

16 de maio de 2018, 13h45

Os jogadores do Sporting fazem um comunicado conjunto depois dos ataques em Alcochete, mas garantem a presença na final da Taça: “Os abaixos assinados, jogadores profissionais ao serviço do Sporting Clube de Portugal, que constituem o plantel da equipa principal de futebol, depois de ponderarem todos os acontecimentos recentes, com particular destaque para os ocorridos ontem, na Academia do SCP, consideram que os mesmos são de enorme gravidade e impõem uma reflexão séria, calma e racional no que respeita às suas consequências e eventuais medidas a tomar por cada um de acordo com os termos e prazos legais. Sem embargo de os abaixo-assinados considerarem não ter condições anímicas e psicológicas para, de imediato, retomarem a sua atividade de uma forma normal, porque a final da Taça de Portugal é uma festa do futebol português, o espelho do desporto nacional, no qual estão em causa todos os profissionais de futebol, o bom nome de Portugal e a dignidade das instituições do futebol, e também por respeito pelos seus colegas e pelo Clube Desportivo das Aves, e por todos os quantos amam e vivem o futebol, sem prejuízo das decisões que cada um tomará, os abaixo-assinados honrarão a sua condição de profissionais, disputando o jogo da final da Taça de Portugal no dia 20 de maio”.

16 de maio de 2018, 14h46

A onda de contestação contra o Presidente do Sporting continua a crescer. Depois de comentários críticos de sportinguistas conhecidos como José Eduardo e Daniel Sampaio, seguiu-se José de Pina, comentador televisivo afeto aos verde e brancos, a pronunciar-se sobre os acontecimentos dos últimos dias. Através da sua conta pessoal de Facebook, o homem que dias antes se envolvera numa acesa troca de palavras em defesa de Bruno de Carvalho com o benfiquista Pedro Guerra no programa “Prolongamento”, da TVI24, disse que o tempo de BdC no Sporting “acabou”, depois deste ter prestado declarações que o deixaram “envergonhado”.

16 de maio de 2018, 16h46

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, reagiu igualmente no parlamento às agressões a jogadores e equipa técnica do Sporting, dizendo que “tem que haver medidas sérias doa a quem doer, ao nível do Sporting, ao nível da Federação e ao nível do Governo português”. Ferro Rodrigues, sportinguista assumido, puxou também por esse lado de adepto e disse que o que aconteceu na Academia do Sporting tinha sido o exemplo de “onde pode chegar a perversidade autoritária e totalitária de dirigentes, e mistura com uma comunicação social fanática que gosta de explorar até ao pus tudo o que acontece ao sábado e ao domingo tudo o que acontece nos campo de futebol, e também aquilo que são claques organizadas, como grupos terroristas que são e que têm que se tratados como tal”. “Não me chocaria que [a final da Taça de Portugal] fosse feita à porta fechada ou na Vila das Aves”, disse ainda Eduardo Ferro.

Bruno de Carvalho vai processar Ferro Rodrigues por difamação

16 de maio de 2018, 18h19

Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, reuniu-se com os restantes elementos da Mesa. O número 1 do principal órgão leonino revelou à saída da Academia que iria marcar uma reunião de todos os órgãos sociais (Direção, Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar) para a segunda-feira seguinte à final da Taça de Portugal. No entanto, haveria um outro cenário em cima da mesa: a possibilidade de marcar uma Assembleia Geral para que os sócios se pronunciassem sobre a continuidade ou não de Bruno de Carvalho.

16 de maio de 2018, 21h00

Depois dos rumores de que vários jogadores estariam a ponderar rescindir com o Sporting por causa dos ataques, o Sporting respondeu à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, garantindo que não tinha sido suspenso qualquer jogador ou despedido qualquer membro da equipa técnica, e que nenhum jogador manifestara intenção à SAD sportinguista de que pretendia rescindir unilateralmente com o clube.

16 de maio de 2018, 21h11

A direção do Sporting e a Comissão Executiva da SAD emitiram um comunicado onde condenam as agressões que apelidam de “crime horrendo e ato terrorista” e pedem a marcação de uma Assembleia Geral Extraordinária para “auscultar os Sócios e dar todas as explicações que estes entendam necessárias”.

16 de maio de 2018, 23h12

O antigo jogador do Sporting Paulo Futre, que fez parte da Comissão de Honra de Bruno de Carvalho nas últimas eleições do Sporting, em 2017, diz que não é possível defender o presidente depois dos acontecimentos na Academia: “É impossível defendê-lo”. O ex-jogador revelou ainda que se sentia arrependido de uma conversa que teve com Rui Patrício depois das críticas de Bruno de Carvalho à equipa no seguimento do jogo com o Atlético de Madrid, que os leões perderam por 2-0.

17 de maio de 2018, 09h27

O presidente do Sporting anunciou numa nota pessoal que ia mover um processo contra o Presidente da Assembleia da República, comentadores e jornalistas por o terem “difamado e caluniado”, após os atos de violência em Alcochete. “Não posso aceitar que a segunda figura do Estado tenha sido mais taxativo e belicista, fazendo-me uma crítica violentíssima, não tendo a mínima noção do cargo que ocupa e da sua condição de sócio do Sporting Clube de Portugal. Será por isso um dos primeiros visados nas ações cíveis que vou mover, até pela posição relevante que ocupa na sociedade”.

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, reagiu no parlamento às agressões a jogadores e equipa técnica do Sporting, dizendo que “têm que haver medidas sérias doa a quem doer, ao nível do Sporting, ao nível da federação e ao nível do governo português”. 

Os detalhes do ataque a Alcochete vêm à tona

17 de maio de 2018, 13h28

Revolução em Alvalade: quando se pensava que as grandes decisões poderiam ficar adiadas para segunda-feira (era isso o combinado nos bastidores), começaram a surgir demissões em catadupa na estrutura dos órgãos sociais. Umas consumadas de imediato, outras que viriam a efetivar-se. Mas sem perda de quórum do Conselho Diretivo. Ou seja, Bruno de Carvalho só sairia por iniciativa própria.

17 de maio de 2018, 16h59

Novidades no alegado esquema de corrupção no andebol do Sporting com a revelação de mensagens de WhatsApp que levantam um pouco mais o pano sobre a teia  alegadamente tecida por André Geraldes. Soube-se que serão oito os jogos de futebol do Sporting que estão sob investigação. As novas mensagens envolvem nomes de jogadores.

O que Bruno Fernandes, William e Gelson disseram à GNR

17 de maio de 2018, 19h01

Segundo o Ministério Público, não foi apenas um aviso ou uma forma de pressão. O grupo de adeptos do Sporting que invadiu a academia de Alcochete de caras cobertas, tochas e cintos nas mãos tinha um plano “previamente gizado e acordado entre todos” que passava por “molestar fisicamente os ofendidos e causar-lhes os ferimentos verificados e dores”.

Seguem-se os pormenores. “Na concretização desse plano, entre os estragos provocados, deixaram destruído o Porsche do treinador de guarda-redes, Nélson Pereira, e entre os ferimentos causados provocaram queimaduras no preparador físico Mário Monteiro. O cenário de violência é descrito pela procuradora adjunta, Olga Melo Duarte, no despacho entregue ao juiz de instrução para aplicar as medidas de coação aos 23 detidos pela GNR. Segundo a magistrada, eram cerca de 17h00 quando o grupo forçou a entrada da Academia e encetou uma série de atos que acabariam por deixar as vítimas atemorizadas, nas suas palavras, “com bastante medo e inquietação”, encontrando-se “afetados psicologicamente”.

A descrição do caso é dura: “Quando ali chegaram, estavam cerca de 20 pessoas na Academia, entre jogadores da equipa principal e pessoal técnico. As primeiras vítimas das tochas dos agressores foram João Pedro Rolin Duarte e Paulo Cintrão, bem como o treinador Jorge Jesus que iam começar os treinos. Depois, os agressores arremessaram tochas em direção aos carros que ali se encontravam parqueados,  e provocaram estragos nos mesmos. As tochas provocaram a deflagração de um foco de incêndio num jardim relvado e numa zona de pasto com ervas secas, assim as inutilizando”, descreve o despacho que indicia os arguidos por nove tipos crimes: terrorismo, agressão, sequestro, dano com violência, detenção de arma proibida, incêndio florestal, ameaça agravada, resistência e coação sobre funcionário e introdução em lugar vedado ao público. O grupo forçou a entrada da parte profissional da academia e a portas do balneário onde surpreendeu os jogadores. Lançaram quatro tochas e uma delas atingiu o preparador físico Mário Monteiro, que sofreu queimaduras na mão esquerda e na barriga. “Vocês são uns filhos da puta, cabrões. Vocês são um monte de merda. Vamos-vos matar! Vocês estão fodidos. Vamos-vos arrebentar a boca toda! Não ganhem no domingo que vocês vão ver”, diziam os agressores enquanto atacavam.

17 de maio de 2018, 23h03

“Não nos vamos demitir”, avisou Bruno de Carvalho logo no arranque de mais uma conferência de imprensa em Alvalade. “Quando se pede responsabilidade, o que se vê são demissões, chantagens, dizendo que pessoas nunca mais têm trabalho na vida… Tudo para tentar dar um golpe em conluio com membros dos órgãos sociais”, acusou. A seguir prometeu uma Assembleia Geral Extraordinária para explicar tudo aos sócios depois da final da Taça de Portugal e do empréstimo obrigacionista.

“Fernando, ajuda, estes gajos estão a bater nos jogadores, ajuda-me”. O relato que Jorge Jesus fez à GNR

17 de maio de 2018, 23h46

É conhecido o depoimento de Jorge Jesus à GNR. Jesus estava a marcar o campo enquanto esperava pelo plantel, na Academia do Sporting, quando foi surpreendido por cerca de 20 ou 30 “indivíduos a entrar nas instalações”. A maior parte trazia a cara coberta. Outros usavam uma pintura na cara nos tons do clube, verde e branco, como se fosse uma máscara. “Está ali o mister. Não é ele que a gente quer … onde estão os jogadores?”. O treinador do Sporting viu, depois, o grupo incansável à procura do plantel em todas as portas da Academia. E percebeu que “algo de errado” se estava a passar. “Iriam agredir os elementos do plantel no interior das cabines”, concluiu. Jesus ainda correu atrás do grupo para o interior das instalações, mas os agressores já estavam a regressar. E, segundo garante, não testemunhou qualquer agressão. No entanto, quando estava a voltar ao campo, e pensando que estava imune ao ataque por causa das palavras que ouvira, acabou dominado e agredido por um dos elementos de cara tapada. O agressor usou “um cinto de cor verde direcionado contra a sua face”, relata a GNR no depoimento que consta no processo.

Jesus ainda deu luta. Correu atrás dele para se defender, mas acabaram os dois por cair no chão. Nesse momento um outro agressor aproximou-se e começou a pontapeá-lo. Nessa altura já havia agressores a abandonarem as cabines para saírem das instalações de volta aos seus carros. Jorge Jesus ainda estava no chão quando percebeu que no grupo havia um elemento de cara destapada, que bem conhecia: Fernando Mendes, ex-líder da claque sportinguista Juve Leo que não foi detido. “Fernando, ajuda, estes gajos estão a bater nos jogadores, ajuda-me”, terá dito a Fernando Mendes. “A gente não veio aqui para bater, só para falar”, respondeu o adepto. Mas nada fez para travar ou evitar as agressões, denunciou Jorge Jesus às autoridades.

18 de maio de 2018, 00h07

Jaime Marta Soares admitiu finalmente, em declarações às TVI24, convocar uma Assembleia Geral para a destituição do Conselho Diretivo: “O poder não cai na rua, a Mesa da Assembleia-Geral mantém os mesmos poderes. Não conseguindo que Bruno de Carvalho saia é isso que temos de fazer: uma Assembleia Geral com nota de culpa para a destituição”. Jaime Marta Soares disse ainda que acredita que se houver novas eleições no Sporting, Bruno de Carvalho se vai candidatar: “Por aquilo que Bruno de Carvalho me habituou a ver nele, eu acredito que na marcação das eleições ele volta a candidatar-se. Para ganhar. Agora, se eu vou com ele? Não. Se voto nele? Não. Estas questões ficam aqui bem claras. [Ele] foi para mim uma desilusão a partir de determinado período”.

18 de maio de 2018, 08h10

Chegam notícias de que Jorge Jesus terá provas de que Bruno de Carvalho manteve contactos com os líderes da Juve Leo e autorizou os radicais desta claque a “apertarem” jogadores e equipa técnica.

18 de maio de 2018, 08h38

Um olhar mais atentos às imagens do ataque em Alcochete mostram que, minutos depois das agressões contra jogadores e equipa técnica, o responsável pela segurança da Academia recebeu um telefonema de Ricardo Vaz, elemento do Gabinete de Apoio aos jogadores, dizendo-lhe para “deixar entrar nas instalações um veículo de marca BMW de cor azul, sendo que essa viatura foi buscar os líderes das claques”. Do grupo de cerca de 50 adeptos que invadiu a Academia do Sporting, grande parte deixou as instalações pela entrada principal e outros saltaram a vedação. Uns “6 ou 7”, no entanto, mantiveram-se dentro das instalações leoninas. Foi nessa altura que chegou um automóvel, da marca BMW, os retirou de Alcochete.

18 de maio de 2018, 08h48

O chefe de operações de Alcochete, Ricardo Gonçalves, terá sido avisado 14 minutos antes que o grupo de radicais ia a caminho da Academia. Segundo o Correio da Manhã, o alerta foi dado por Bruno Jacinto, fundador do Diretivo XXI e membro da Juve Leo, oficial de ligação aos adeptos do Sporting, cargo que chegou a ser ocupado por André Geraldes, braço-direito de Bruno de Carvalho. No depoimento prestado, o chefe de operações da Academia garante que que alertou a GNR, mas decidiu não fechar os portões. Gonçalves assegura que foi ao encontro do grupo e reconheceu vários membros da Juve. Terá sido incapaz de os travar.

18 de maio de 2018, 12h34

O Diário de Notícias da Madeira noticiou que os ataques à Academia do Sporting começaram a ser planeados ainda na Madeira. De acordo com o relatório elaborado pela equipa de segurança que acompanhava a comitiva leonina na deslocação à Madeira e reportado às forças de segurança em Lisboa, o ex-líder da Juve Leo Fernando Mendes ameaçou Acuña ainda no aeroporto: “Acuña! Vemo-nos em Alcochete na terça-feira”. Fernando Mendes, que não gostou da forma como os dois argentinos do plantel, Battaglia e Acuña, responderam e enfrentaram os contestatários na Madeira e na garagem de Alvalade, após a viagem de avião, queria dirigir-se aos mesmos pedindo satisfações pela atitude.

Jesus desmente ter provas contra Bruno; Direção por um fio; PJ suspeita de “saco azul” em Alvalade

18 de maio de 2018, 18h57

Nuno Torres, o condutor e dono do BMW azul que retirou alguns agressores da Academia do Sporting depois das agressões aos jogadores e corpo técnico, garantiu que não esteva envolvido nos atos de violência. Em declarações à SIC, explicou que foi convidado por Fernando Mendes, ex-líder da Juventude Leonina, para uma reunião com Jorge Jesus em Alcochete. Quando chegou, as agressões já tinham acontecido. “Vi o Jesus a sair ensanguentado e tentei ajudá-lo com uma garrafa de água. Concretamente, o Jorge Jesus foi a única pessoa que eu vi ensanguentada, tinha sangue nos lábios. Eu fui buscar o meu carro e voltei e fui buscar o Fernando Mendes. Nós não fizemos nada, eu entrei com o carro, fui autorizado pelos seguranças, pelo Sporting, pelos responsáveis, a entrar com o carro. Eu entrei com o carro, já estava lá a minha matrícula”, revelou.

18 de maio de 2018, 19h23

É conhecido o relato de Bas Dost à GNR. Contou que estava a acabar o treino no ginásio quando olhou pela janela e deparou com aquela imagem. Cerca de 40 a 50 pessoas entravam na Academia do Sporting a passo lento e de rostos escondidos pelos cachecóis do clube, camisas e máscaras. Sem saber o que se estava a passar, Bas Dost correu para o balneário, na tentativa de se juntar aos colegas. Mas não chegou a entrar. Acabou por ser agredido e, por momentos, perder a noção do “tempo e do lugar”, como descreveu à GNR do Montijo horas após a agressão que o conduziu ao hospital. O jogador holandês confessou que se sentiu “perplexo” ao assistir aos intentos dos adeptos, que queriam e forçaram a entrada no balneário para chegar aos jogadores do Sporting. Segundo a sua descrição, dois dos elementos do grupo de invasores passaram “a cerca de um metro de distância” e até lhe fizeram um sinal com o dedo polegar, como se lhe estivessem a transmitir uma mensagem de “ok”. Depois, ainda passaram seis ou sete suspeitos por ele, que não “interagiram”. Só depois um dos adeptos parou diante dele e com um “objeto”, que lhe pareceu um cinto “dobrado em forma de chicote”, agrediu-o com violência na cabeça. Bas Dost tombou no chão e, neste momento, um outro agressor aproveitou para investir contra ele. Lembra-se, ainda, de ter sido levado por dois elementos da equipa médica que o assistiram e tem memória de “algumas pessoas” — supondo-se estar a referir-se a adeptos invasores — terem ficado “perplexas” com o facto de ter sido agredido. O jogador do Sporting, cuja imagem dos ferimentos foi divulgada logo no momento garantiu que por alguns minutos terá ficado inconsciente, perdendo a noção do “tempo” e do “lugar”. E que entrou em “estado de choque e de medo“.

18 de maio de 2018, 21h12

O treinador do Sporting, Jorge Jesus, desmentiu que tivesse provas contra Bruno de Carvalho, como noticiara o Público. “Não tenho nenhuma informação nem nunca tive do alegado envolvimento de Bruno de Carvalho como mandante do que aconteceu em Alcochete”. Jesus disse-se até “perturbado” pela notícia, razão pela qual ligou de imediato a Bruno de Carvalho.

18 de maio de 2018, 23h00

Pelo menos dois dos nove arguidos que se disponibilizaram a contar ao juiz do Tribunal do Barreiro como foi o ataque à Academia do Sporting contestaram as imagens do sistema de videovigilância. Nas imagens recolhidas pela GNR, e que constam no processo ao lado das fotografias dos suspeitos captadas logo após a detenção, há diferenças óbvias: a fisionomia dos suspeitos e a roupa que usavam naquele dia é completamente diferente.

19 de maio de 2018, 09h50

No meio de toda a confusão, houve uma informação relevante que passou ao lado: uma nova Assembleia Geral dos Obrigacionistas da SAD, que não reuniu o número mínimo para votar o adiamento do reembolso dos títulos de empréstimo de 2015 para o final do ano. “Estava uma percentagem muito pequena, a rondar um por cento, pelo que se tornou impossível deliberar sobre esta matéria”, disse João Sampaio, presidente da Assembleia Geral da SAD.

19 de maio de 2018, 14h20

Bruno de Carvalho defendeu-se de novo em conferência de imprensa: “Nós somos pais, filhos, maridos, temos a nossa dignidade, honra e respeitabilidade, e esta campanha que se instalou e que a comunicação social dá eco chegou ao limite de hoje [19 de maio] na capa do Expresso se dizer ‘Brunos de Carvalho devem ser mortos à nascença’. Temos capas com caricaturas onde estou eu com uma matraca ou uma moca a dizer ‘Bruno deu aval a agressões’. Outra que diz que jogadores acham que seria uma afronta ir ao Jamor. Outra que jogadores não querem Bruno. Outra que diz que compramos outro atleta. E mais, e mais, e mais… Tem de ter o seu limite”, acusou. E acrescentou: “Foi um ato vil, teve uma origem mas não foi a 6 ou a 7 de abril quando estava a um dia de saber se a minha filha mais nova sobrevivia ou não. O que menos me importava naquele momento era as questões que estavam contra mim nisso”.

Sobre eventuais rescisões de jogadores, Bruno de Carvalho disse: “Teríamos motivo para fazer alguns processos disciplinares perante o que aconteceu mas com um crime daqueles não merece, mas não me venham falar mais de rescisões. Que muitos estão em choque, que muitos não perceberam, que a muitos passou pela cabeça fugir claro, mas a Academia é e sempre foi um local seguro. Todos os atletas e staff podem estar calmos porque o que for preciso mudar mudaremos mas parem este ato de terrorismo”.

E ainda falou da vida privada: “Lamento que sportinguistas estejam a ser enredados por um conjunto de calúnias e mentiras que já chegou ao cúmulo de ter dois jornalistas da SIC uma hora e meia a bater à porta de casa e tivemos de chamar a polícia, para serem identificados. Neste momento, não sei onde está a minha filha Diana porque a minha ex-mulher diz que não estão reunidas condições de segurança e desapareceu com a minha filha. É criminoso o que estão a fazer e espero que os sportinguistas percebam isso. O que está a ser armadilhado por Jaime Marta Soares… Se apresentarmos a demissão, só nos permite recandidatar seis meses depois”. A conferência durou duas horas.

Entre a violência e a corrupção, a final do Jamor

19 de maio de 2018, 17h51

Na longa conferência Bruno de Carvalho dirigiu ainda acusações a Álvaro Sobrinho, José Maria Ricciardi, Jaime Marta Soares e à “bem montada teia cartilheira do Benfica”. Ricciardi foi o primeiro a reagir às acusações do presidente do Sporting: “Devia ser internado numa instituição psiquiátrica”, disse. O antigo membro do Conselho Leonino e sócio do Sporting, afirmou que as declarações de Bruno de de Carvalho, que o acusou de ser o “estratega” de tudo o que estava a acontecer no SCP, eram“absolutamente falsas”. O banqueiro afirmou também que o presidente do Sporting devia “ser arrastado e integrado nas investigações criminais do Sporting”. Ricciardi ainda insultou Bruno de Carvalho: “É um grande imbecil”.

19 de maio de 2018, 22h06

32 sócios do Sporting entre os quais se incluiam os antigos presidentes leoninos Pedro Santana Lopes e Soares Franco, o ex-ministro Paulo Portas, o antigo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carmona Rodrigues, ou o ex-candidato e empresário Pedro Baltazar, escreveram uma carta aberta para os jogadores a propósito do momento que o clube atravessava, pedindo que os mesmos ajudem a construir um novo ciclo em Alvalade: “Sabemos que viveram um momento único e talvez o mais difícil das vossas vidas, certamente extensível a todos quantos vos são queridos, e que este é um momento ingrato, injusto e muito doloroso. É por isso que estamos aqui, solidários com todos vocês mas também empenhados em agir de imediato, deixando uma mensagem de confiança no futuro. Sim, há um presente triste e negro que estamos todos a viver, mas há um futuro”.

19 de maio de 2018, 22h16

Álvaro Sobrinho, líder da Holdimo, empresa que é a segunda maior acionista da SAD do Sporting, reagiu às acusações que Bruno de Carvalho. “As declarações que ele faz são muito graves. Ele é um mentiroso compulsivo e tenta manipular a informação sobre a má gestão [do Sporting] que ele tem feito até agora”, afirmou o gestor luso-angolano. Quanto à permanência como acionista do clube caso Bruno de Carvalho continue a ser presidente, o gestor afirmou: “Quem não vai continuar no Sporting é o senhor Bruno de Carvalho, essa é que é a certeza que tenho.”

19 de maio de 2018, 22h21

Na antecipação da final da Taça, Jorge Jesus falou pela primeira vez dos incidentes de Alcochete. “Gostava que o Jamor estivesse, praticamente, todo pintado de verde. E que possam desfrutar, e continuem com as suas formas de comunicação e partilhar com a equipa, como normalmente estamos habituados, principalmente no nosso estádio, para que também os jogadores do Sporting se possam sentir mais seguros, mais fortes, para fazer um excelente jogo”, disse, depois de uma semana em que os jogadores treinadoram sempre em parte incerta.

Desp. Aves ganha a Taça, jogadores do Sporting em lágrimas e Jesus fala em “filme de terror”

19 de maio de 2018, 23h11

O líder da Juventude Leonina, Nuno Mendes ‘Mustafá’, garantiu que não houve qualquer pedido, sugestão ou sequer aval do presidente Bruno de Carvalho à claque para qualquer ação contra os futebolistas do Sporting. “Em nenhum momento houve um pedido, sugestão ou sequer aval do presidente ou de qualquer elemento do Sporting para que a ‘Juve Leo’ desencadeasse qualquer ação contra os nossos jogadores, o nosso ‘mister’ (Jorge Jesus), o ‘staff’ técnico ou qualquer elemento da Academia de Alcochete”.

20 de maio de 2018, 11h56

Sobre o jogo no Jamor, Bruno de Carvalho também fez declarações. “É o culminar de todo o trabalho de uma época, essa vontade de conquistar esta Taça e partilhá-la com os adeptos do Sporting, que têm sido o 12º jogador, que nos têm apoiado sempre. Não é este ato que vai transformar 3,5 milhões de pessoas de um dia para o outro. Vão ver o apoio fantástico que o Sporting terá. Temos de continuar a ser um exemplo mundial, enquanto grupo sei que querem muito vencer. Não vou estar no Jamor, mas vou estar com eles, com a minha alma e com o meu coração. Que eu consiga, com a minha família, viver mais uma alegria”. A ausência foi decidida depois das críticas ouvidas e das notícias de que o Presidente da República não entregaria a taça se o presidente leonino estivesse presente.

20 de maio de 2018, 12h35

Em nota enviada à agência Lusa, os responsáveis do Conselho Fiscal e da Mesa da Assembleia Geral comfirmam que “ponderaram” a renúncia aos cargos, face à “turbulência vivida” no clube, mas optaram por se manter em funções e exercer os cargos até final dos mandatos, com o dever de defesa dos acionistas.

20 de maio de 2018, 13h30

O presidente da Mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, esclareceu que marcaria eleições de imediato para todos os órgãos sociais, e não haveria comissão de gestão, se o presidente Bruno de Carvalho se demitisse. “A ;esa informa todos os sportinguistas que se o senhor presidente em exercício, Bruno de Carvalho, se demitir, serão marcadas, de imediato, eleições para todos os órgãos sociais, utilizando os tempos mínimos consagrados nos estatutos”.

20 de maio de 2018, 21h35

O Desportivo das Aves derrotou o Sporting no Jamor e conquistou a Taça de Portugal. A vitória por 2-1 fez do Desportivo das Aves a 13.ª equipa a festejar uma Taça de Portugal. Era a machadada final numa época desoladora para os leões. Os jogadores sportinguistas mostraram-se arrasados, com a imagem das lágrimas de Rui Patrício a marcar a tarde.

Fotogaleria. Rui Patrício, Jorge Jesus e Coates: as lágrimas do Sporting depois da derrota no Jamor

Numa época de crise do clube leonino, depois de ser divulgado que o clube está no meio de um esquema de alegada corrupção desportiva, o caso Cashball, e do ataque perpetrado aos jogadores e ao treinador do clube, o Sporting Clube de Portugal e o Desportivo das Aves jogam a final da Taça de Portugal.

A reunião dos órgãos sociais

21 de maio de 2018, 12h07

O Sporting emitiu um comunicado onde anunciava a retirada de benefícios à claque Juve Leo e solicitava uma audiência com António Costa. O clube de Alvalade anunciou várias medidas e pedia aos adeptos que continuassem a apoiar os atletas do futebol profissional.

21 de maio de 2018, 18h39

Bruno de Carvalho – assim como os restantes membros da direção – garantiam não ter sido convocados para a reunião dos órgãos sociais. Marta Soares garantiu que o presidente do Sporting foi notificado via email. Depois da confusão, o presidente leonino acabou por ir a Alvalade.

21 de maio de 2018, 20h24

É conhecida a pena para os suspeitos do ataque à Academia do Sporting. Ficam em prisão preventiva enquanto aguardavam julgamento. A advogada de um dos arguidos, Maria João Mata, disse estar “chocada e indignada” com a decisão. “É inacreditável colocar todos os arguidos no mesmo espaço. Ser igual para os 23 arguidos… a maioria são jovens. Acho que a mão foi muito pesada”.

21 de maio de 2018, 21h11

Uma missiva apelava aos jogadores do Sporting para não rescindirem contrato com o clube. Era subscrita por 32 sportinguistas com notoriedade pública e já falava de futuro: instava, por exemplo, os jogadores a ajudarem a construir “um novo ciclo, um novo caminho de sucesso” que resultasse num “novo futuro para o Sporting Clube de Portugal”.

21 de maio de 2018, 23h00

Durou perto de três horas a reunião que juntou os membros dos órgãos sociais: Conselho Diretivo, Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar (os últimos dois, já demissionários). Apesar da duração, não houve decisões tomadas: “Não temos de nos precipitar”, disse Marta Soares. “Foi uma reunião de reflexão e muita serenidade. Apresentámos à direção do Sporting aquilo que são os nossos pontos de vista e as nossas propostas bem fundamentadas e baseadas naquilo que são os interesses dos sócios do Sporting. Tivemos a oportunidade de também ouvir atenciosamente e com grande sentido de responsabilidade aquilo que a direção tinha para nos dizer”. Ficou agendada para quinta-feira uma nova reunião decidir “em concreto e com objetividade aquilo que mais importa para os destinos do Sporting”.

22 de maio de 2018, 19h36

Augusto Inácio regressava ao futebol do Sporting como diretor geral, já que André Geraldes, constituido arguido no processo “Cash Ball”, ficara impedido de exercer funções desportivas e de contactar qualquer elemento do clube e da SAD.

23 de maio de 2018, 22h15

No despacho que aplica a prisão preventiva a todos os arguidos das agressões de Alcochete ouvidos ao longo de quatro dias, o juiz Carlos Delca considerou que aconteceu uma verdadeira “perversão do desporto”. É “a utilização dos atletas para os adeptos se sentirem campeões e, quando tal não é atingido, castigam os jogadores, chamam-lhes filhos da puta e cabrões, ameaçam-nos de morte, batem-lhes, estragam-lhes os carros e prometem-lhes outras agressões se não se portarem bem”, escreveu. “Este comportamento é inaceitável e, em face da lei portuguesa, terrorista”. No despacho de 56 páginas o magistrado atriibui aos arguidos um total de 59 crimes, entre introdução em lugar vedado ao público, ameaça agravada, ofensas à integridade física, sequestro, dano com violência, detenção de arma proibida, incêndio florestal, terrorismo e resistência e coação contra funcionário”.

Durou perto de três horas a reunião que juntou os membros dos órgãos sociais do Sporting Clube de Portugal: Conselho Diretivo, Assembleia Geral e Conselho Fiscal e Disciplinar (os últimos dois, já demissionários). Apesar da duração, não houve decisões tomadas: “Não temos de nos precipitar”, disse Marta Soares. 

A candidatura de Varandas e a AG destitutiva

ANTONIO AZEVEDO

24 de maio de 2018, 11h52

Um comunicado, com dez parágrafos, confirmava a saída de Frederico Varandas da direção e coordenação do departamento médico do Sporting, como também a sua disponibilidade para liderar uma nova solução para o comando do clube. Em declarações ao Observador, Varandas detalhou o momento em que tomou a decisão e as razões que o conduziram a este desafio. “Tomei esta decisão no relvado do Jamor, quando estavam todos os jogadores sentados no relvado enquanto o Desp. Aves ia levantar a taça na Tribuna e estava a caminhar naquela zona”, explicou o médico de 38 anos, que protagonizou um dos momentos mais marcantes do pós derrota quando abraçou um Rui Patrício incapaz de controlar as lágrimas.

Frederico Varandas quer liderar solução para o Sporting: “Tomei esta decisão no relvado do Jamor”

24 de maio de 2018, 13h53

O Conselho Diretivo do Sporting emitiu um comunicado em que diz não estar apegado aos lugares, mas alerta para os riscos  que a crise coloca no momento do “lançamento de um primeiro empréstimo obrigacionista em junho”, da “assinatura do contrato jurídico da melhoria da reestruturação financeira”, da “venda e compra de passes de jogadores de e para o plantel do futebol profissional” ed a “emissão de um segundo empréstimo obrigacionista em novembro”.

24 de maio de 2018, 17h52

Sabe-se que as câmaras de videovigilância instaladas na Academia do Sporting, em Alcochete, são monitorizadas a partir do estádio José Alvalade e o sistema sofreu uma falha precisamente no momento em que os cerca de 50 adeptos invadiram aquele espaço.

24 de maio de 2018, 22h24

“Hoje é um dos dias mais tristes que vivi no Sporting. Cada derrota, cada não conquista são marcantes, mas hoje é o momento institucional mais triste da minha vida e acredito que estou a falar por todos”, disse Bruno de Carvalho no início da declaração após ter sido decidida e anunciada uma AG para destituir o presidente. “Esta direção tentou. Inclusivamente pedimos por duas vezes, no dia 21 e hoje [24 de maio], que nos dessem as razões porque nos devíamos demitir, que nós sairíamos da sala, reuniríamos e falaríamos sobre essas razões para tomarmos decisões. Foi-nos dito que não queriam entrar em discussões. Jaime Marta Soares acabou de lançar uma bomba atómica”. Começava a guerra aberta Bruno de Carvalho-Marta Soares.

AG a 23 de junho para destituir Bruno de Carvalho. “O dia mais triste da minha vida no Sporting”

24 de maio de 2018, 23h29

Ainda enquanto Bruno de Carvalho falava no Auditório Artur Agostinho, o Correio da Manhã revelava a mensagem enviada pelo presidente do Sporting aos jogadores antes do jogo com o Paços de Ferreira, o primeiro a seguir ao jogo da Liga Europa contra o Atlético de Madrid. “Boa tarde. Após o jogo do Paços vamos ter a conversa mais séria que vocês tiveram na vossa vida. Tenho 4 filhas e não tenho paciência para amuos ou falsos profetas. Vão perceber de vez o vosso lugar. Crianças amuadas não pertencem ao Sporting a não ser o da Covilhã. Abr”.

Varandas detalhou o momento em que tomou a decisão e as razões que o conduziram a este desafio. “Tomei esta decisão no relvado do Jamor, quando estavam todos os jogadores sentados no relvado enquanto o Desp. Aves ia levantar a taça na Tribuna e estava a caminhar naquela zona”.

A polémica da ata

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

25 de maio de 2018, 17h35

Fernando Correia era anunciado como porta-voz de Bruno de Carvalho. O jornalista de 82 anos, que já era comentador na Sporting TV, deu uma conferência de imprensa no Estádio José Alvalade, onde informou que a ata da reunião de 24 de maio que avançou para a assembleia destitutiva iria “ser enviada para todos os sócios do Sporting” para ficarem “a saber tudo, mas mesmo tudo, sem qualquer reserva, sobre o que ali se passou”.

25 de maio de 2018, 20h22

A Mesa da Assembleia Geral voltou a acusar, através de comunicado, o Conselho Diretivo do clube de adulterar a ata da reunião, dizendo que o órgão liderado por Bruno de Carvalho tentou obrigar “os membros dos outros órgãos sociais a assinar uma suposta acta da reunião anterior, sem qualquer correspondência com o que ocorreu no decurso da mesma”.

28 de maio de 2018, 08h10

O novo diretor-geral do Sporting confirmou que existiam negociações com o Nápoles para a transferência do guarda-redes Rui Patrício para os vice-campeões italianos de futebol. “O caminho tem sido esse, de o Nápoles ser o clube que quer o Rui Patrício e há negociações nesse sentido”, disse Augusto Inácio, que revelou já ter falado com “quase todos os jogadores” do plantel leonino: “Gostei do feedback do outro lado, uns pessoalmente e outros por telefone. Senti um feedback bom, no sentido de as coisas não serem tanto como a imprensa pinta, que vai haver uma debandada e vai haver rescisões. Não senti isso”.

A luta de palavras entre a MAG e Bruno de Carvalho (com a Holdimo à mistura)

LUSA

28 de maio de 2018, 23h18

A Mesa da Assembleia Geral anunciou que iria designar uma comissão de fiscalização para exercer transitoriamente as funções do Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário, como previsto número um do artigo 41.º dos Estatutos do Sporting: “Se se verificar causa de cessação de mandato da totalidade dos membros do Conselho Diretivo ou do Conselho Fiscal e Disciplinar ou se, convocadas eleições para qualquer daqueles órgãos, não houver candidaturas, pode, no primeiro caso, e deve, no segundo, o presidente da Assembleia Geral designar uma comissão de gestão ou uma comissão de fiscalização, ou ambas.”

29 de maio de 2018, 00h38

A Direção do Sporting reagiu à decisão da mesa da Assembleia Geral Mesa de designar uma comissão de fiscalização. Numa nota de imprensa do novo porta-voz de Bruno de Carvalho, Fernando Correia, o Conselho Directivo dizia-se “uma vez mais surpreendido” com aquilo a que chamou uma “nova tentativa de assalto ao poder” por parte de Jaime Marta Soares. “O que pretende o Presidente da MAG são três coisas: fazer o que ele próprio não conseguiu, ou seja, afastar um, dois ou a totalidade dos membros do Conselho Directivo em funções, para que caia esse órgão. Cair no número 2 do artigo 41, o qual confere a essa comissão de fiscalização o prazo de seis meses para a convocação de eleições. E encontrar mecanismos manipuladores que levem à queda dos membros do Conselho Directivo através de processos disciplinares, ficando a actual MAG a gerir o clube com uma comissão de gestão e uma comissão de fiscalização, que, repetimos, ser um golpe palaciano de assalto ao poder”.

Bruno de Carvalho acusa Marta Soares de “golpe palaciano de assalto ao poder”

29 de maio de 2018, 14h46

Através de um comunicado assinado por Marta Soares, a Mesa da AG do Sporting anunciava mesmo a criação de uma Comissão de Fiscalização para “exercer transitoriamente as funções que cabem ao Conselho Fiscal e Disciplinar” – também ele demissionário. Horas depois, surgia nas redes sociais do Sporting um comunicado onde a Direção liderada por Bruno de Carvalho acusava Jaime Marta Soares de mais uma tentativa de “golpe palaciano de assalto ao poder”.

30 de maio de 2018, 11h14

A Holdimo, empresa que controla cerca de 30% da SAD do Sporting, anunciava que iria desencadear uma ação especial para destituir os quatro membros do Conselho de Administração. A empresa detida por Álvaro Sobrinho — e que é o maior acionista privado da SAD — queria forçar a saída de Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Guilherme Pinheiro e Rui Caeiro. As razões invocadas pela Holdimo tinham a ver com a violação dos deveres da administração, bem como o desvio de dinheiro da SAD para o clube. Esta intenção surgia na sequência dos incidentes depois da derrota do Sporting contra o Atlético de Madrid, que a Holdimo considerava terem contribuído para a desvalorização dos ativos.

30 de maio de 2018, 16h50

O Conselho Diretivo do Sporting, liderado por Bruno de Carvalho, garantia que não iria permitir o acesso dos eventuais membros da Comissão de Fiscalização – criada pela Mesa da Assembleia Geral demissionária para exercer as funções do Conselho Fiscal e Disciplinar, também ele demissionário – “aos escritórios e serviços do clube”.

30 de maio de 2018, 21h07

Jaime Marta Soares tentou validar o requerimento para a marcação de uma Assembleia Geral de destituição dos órgãos sociais do clube — e consequente queda de Bruno de Carvalho da presidência do clube. Mas sem sucesso: “Viemos aqui para apresentar mais de 3.500 votos dos associados para provar que a decisão de marcar uma Assembleia Geral assenta no descontentamento dos sócios, o que está devidamente comprovado com estas assinaturas que aqui estão. Não conseguimos que fossem validados porque não havia ordem aos funcionários para que se disponibilizassem para este serviço”, lamentou.

1 de junho de 2018, 01h15

Em resposta ao anúncio por parte da Mesa da Assembleia Geral, que divulgou em comunicado a criação de uma Comissão de Fiscalização com cinco nomes para exercer de forma transitória o papel que caberia ao Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário (pelo menos seis dos sete membros efetivos, o que levava à perda de quórum), o Conselho Diretivo reagiu também em comunicado e provocou um autêntico golpe de teatro, virando o tabuleiro ao contrário e decidindo destituir a Mesa da Assembleia Geral. Em resumo, Bruno de Carvalho e seus pares entendiam que os membros que apresentaram em bloco a demissão da Mesa da Assembleia Geral e os seis elementos que decidiram revogar o seu mandato no Conselho Fiscal e Disciplinar não iniciaram “os procedimentos legais e estatutários a que estão vinculados, e que permitiram o normal funcionamento do clube e consequente defesa dos interesses do Sporting”.

1 de junho de 2018, 08h26

A Holdimo, segundo maior acionista da SAD, deu entrada nos tribunais com uma ação especial para destituir a administração liderada por Bruno de Carvalho, anunciou Álvaro Sobrinho, líder da empresa angolana. O empresário angolano explicou que o processo “surge na sequência da recusa de Bruno de Carvalho em se demitir, porque “Portugal é um país democrático e de direito e não uma ditadura”.

1 de junho de 2018, 09h51

Rui Patrício, guarda-redes do Sporting, já a trabalhar com a Seleção Nacional no Campeonato do Mundo, avançou com o pedido de rescisão unilateral de contrato com os leões. A gota de água neste processo terá acontecido no dia anterior. Já depois de ter visto a hipótese de rumar aos italianos do Nápoles cair por terra, o agente Jorge Mendes intermediou o interesse dos ingleses do Wolverhampton, equipa comandada por Nuno Espírito Santo que subiu esta temporada à Premier League, num negócio que envolveria valores muito semelhantes aos que estiveram em cima da mesa com o vice-campeão transalpino, mas que o Sporting rejeitou. Seguiu-se Daniel Podence, que apresentou uma carta de rescisão igual à de Patrício.

Rui Patrício e Podence rescindiram, agente de William “não confirma nem desmente”: o dia do Sporting

A catadupa de rescisões, o adeus de Jesus e a detenção de Fernando Mendes

1 de junho de 2018, 11h27

Jaime Marta Soares considerou que a substituição dos membros da Mesa da AG por parte do Conselho Diretivo do clube “não tem cobertura estatutária” e por isso “é ilegal”. O Conselho Diretivo do Sporting revelou, em comunicado, que decidiu substituir a Mesa da Assembleia Geral e respetivo presidente através da criação de uma comissão transitória da MAG.

1 de junho de 2018, 13h13

Marta Soares explicou à agência Lusa que não apresentou, formalmente, a demissão do cargo, mediante comunicação ao Conselho Fiscal. “Para me demitir tinha de ter apresentado um pedido, uma informação ao Conselho Fiscal a dizer me demitia, só assim é que estaria consumada a minha demissão, mas eu nunca o fiz” porque “o comandante é o último a abandonar o navio”.

1 de junho de 2018, 14h56

São conhecidas mais mensagens enviadas por Bruno de Carvalho a Rui Patrício.

Uma é de 20 de Janeiro, na sequência do empate da equipa com a equipa do Vitória de Setúbal: “Eu sou o Presidente. Como tal tenho de estar ao vosso lado nos bons e nos maus momentos. Mas eu também sou profissional e adepto deste clube que amo. Este resultado colocou-me num estado de nervos que não merecia. Tive de ser assistido no hospital. Eu não mereço, a minha família, que precisa de mim, não merece e os sportinguistas não merecem. Eu vivo o meu papel de presidente com amor, mas também é a minha vida profissional e cada mau resultado coloca em causa a mesma. Milhares de sportinguistas vão aos estádios por todo o país sem dinheiro para comer depois. Bem sei que nada se perdeu hoje sem ser dois pontos mas a verdade é que colocámos em tristeza profunda milhões de pessoas que só querem de vocês ser felizes. Que hoje tenha sido a nossa última frustração deste ano. Que a partir de agora só consigamos dar alegrias a todos. Já chega de falhar. Já chega de “para o ano é que é”. Já chega de não dar as alegrias que os sportinguistas merecem. Não vale a pena perder pontos e chorar. Temos é de chorar se preciso para ganhar sempre os três pontos. Que hoje seja a viragem em definitivo. Nada se ganha até o árbitro apitar e somos demasiado profissionais para errar. Atitude e Compromisso para ganhar as quatro competições onde estamos! Esta época não podemos falhar. Esta época já não temos mais desculpas para dar. Este ano cada objectivo que falharmos ser totalmente imperdoável e seremos os únicos culpados. Vamos tivrar desta frustração a força final para ganhar tudo pois eu não vou tolerar que seja diferente. Eu dou o que tenho e o que não tenho e não posso ter maus dias ou gerir bem e mal. Eu para colocar o Sporting onde está agora tive de nunca errar, lutar até quase à morte todos os dias, não permitir falhas e gerir cada desafio que tenho como uma batalha para vencer sempre pois só ganhando sempre se ganha a guerra. Chega! Vamos todos juntos lutar sem mais desculpas ou falhanços, Temos mais de 3 milhões e meio de pessoas a sofrer por nós. É nosso único dever dar-lhes felicidade! Atitude e Compromisso para atingir toda a Glória, Bruno de Carvalho”.

Outra é de 19 de março: “Boa noite. E depois dizem-me que eu não defendo o grupo. Vocês são uns convencidos que não respeitam nada nem ninguém. Agora podem ir mostrar isto ao grupo, ficarem amuados mas realmente é uma decepção as vossas atitudes”.

E uma outra, de 6 de Abril, após a derrota em Madrid, esta enviada aos dois capitães, William Carvalho e Rui Patrício: “Boa tarde. Após o jogo do Paços vamos ter a conversa mais séria que vocês tiveram na vossa vida. Tenho 4 filhas e não tenho paciência para amuos ou falsos profetas. Vão perceber de vez o vosso lugar. Crianças amuadas não pertencem ao Sporting a não ser o da Covilhã”.

“[BdC] atiçou a ira dos adeptos contra mim”. Leia aqui na íntegra as 34 páginas da rescisão de Rui Patrício e Podence

1 de junho de 2018, 15h44

Num comunicado de dois parágrafos, com quatro deliberações, um delas afastar a Mesa da Assembleia Geral do Sporting, como resposta à nomeação de uma Comissão de Fiscalização para substituir o Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário.  As decisões de Bruno de Carvalho e dos novos órgãos “não estão providas de legalidade”, diz Fábio Figueiras, membro da Associação Portuguesa de Direito Desportivo.

1 de junho de 2018, 18h42

Marta Soares respondeu à substituição da Mesa por uma Comissão Transitória liderada por Elsa Judas Tiago, mas também a anulação da Assembleia Geral Extraordinária de dia 23 de junho e a marcação de uma reunião magna ordinária para dia 17, não só para aprovação do orçamento para a próxima temporada mas também para algumas alterações estatutárias. Fala “num verdadeiro golpe de Estado” que viola os estatutos do Sporting, garante que continua em funções e pede mesmo às autoridades públicas para que tomem as medidas necessárias.

3 de junho de 2018, 16h23

O Conselho Diretivo do Sporting e a Administração da SAD leonino assinam um longo comunicado de nove pontos onde abordam vários temas, a começar pela providência cautelar contra a decisão de fazer cair a Mesa da Assembleia Geral e o Conselho Fiscal e Disciplinar e dda nomeação de uma Comissão Transitória. Destacam também que “a Direção tem no currículo os melhores resultados desportivos e financeiros de sempre” e que “a Administração [da SAD] foi a única na história do clube a apresentar um mandato positivo”.

4 de junho de 2018, 10h28

Os jogadores de hóquei do Sporting reagiram de forma irónica a um alegado SMS enviado por Bruno de Carvalho a criticar aos atletas depois da derrota com o FC Porto, em maio, na meia-final da Liga Europeia, por 5-2. “Vocês desonraram-me, a mim e ao Sporting, envergonharam-me (…) Não vai existir qualquer contratação para a equipa e quem não tem contrato sai já. Quem tem, não renova mais nada. Esta modalidade é a que tem sido mais apoiada e é uma vergonha”. Após vencerem o campeonato, alguns atletas partilharam uma fotografia acompanhada da legenda: “Obrigado PRESIDENTE por nos despedir antes de sermos campeões! Que grande mensagem que nos enviou. Fez de nós campeões”.

4 de junho de 2018, 11h16

Ao cumprir os requisitos de anúncio de uma reunião magna, nomeadamente no que respeito à marcação da mesma através de anúncios em jornais desportivos e generalistas com pelo menos 15 dias de antecedência, Jaime Marta Soares efetivou a Assembleia Geral Extraordinária para destituição dos sete membros do Conselho Diretivo que se mantinham em funções: Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro, Alexandre Godinho, Luís Roque, Luís Gestas e José Quintela.

4 de junho de 2018, 18h12

O Conselho Diretivo do Sporting, num comunicado assinado por Fernando Correia, anunciava que iria fazer uma participação contra o Benfica nos tribunais e na FIFA por “assédio ilegal e contra todas as normas em vigor” feito a jogadores. Ao mesmo tempo, voltava de novo a falar sobre a transferência falhada de Rui Patrício para os ingleses do Wolverhampton, apontando o dedo à Gestifute de Jorge Mendes por causa do pedido de um valor acima dos sete milhões de euros para o acordo. “Esta Comissão Executiva em momento algum aceitou, ou assumiu o compromisso, de liquidar uma suposta dívida de quatro milhões de euros à Gestifute pela venda do passe do jogador Adrien Silva, nem relativamente a Rui Patrício”. O comunicado detalhava os moldes do negócio, que passara de 18 milhões a 24 meses mais dois milhões variáveis e uma percentagem de 15% numa futura mais valia, para 18 milhões a 34 meses, 10% de mais valia e sem valores variáveis. “Nunca cederemos as chantagens”.

4 de junho de 2018, 19h41

O Benfica assegurava, em comunicado, que iria avançar com uma queixa-crime contra o Sporting “por grave difamação e denúncia caluniosa” na sequência da denúncia dos “leões” à FIFA de “aliciamento e assédio ilegal” do Benfica a jogadores do clube, entre eles o guarda-redes Rui Patrício.

5 de junho de 2018, 22h22

Jorge Jesus era confirmado como novo treinador do Al-Hilal entrando para o top 10 dos mais bem pagos do mundo com um ordenado anual de sete milhões de euros líquidos, mais prémios por objetivos (até mais três milhões de euros). A rescisão de Jesus com o Sporting, com quem tinha ainda mais um ano de contrato, foi apenas comunicada à CMVM às 00h43. E de mútuo acordo, ficando o treinador proibido de falar do que vivera no clube.

Jorge Jesus confirmado no Al-Hilal, Sporting procura um novo treinador

6 de junho de 2018, 10h52

Guilherme Pinheiro renuncia ao cargo de administrador executivo da SAD do Sporting. Os restantes administradores (Bruno de Carvalho, Carlos Vieira e Rui Caeiro como executivos, e Nuno Correia da Silva, como não executivo) mantinham os respetivos cargos.

6 de junho de 2018, 13h18

Bruno de Carvalho deu uma nova conferência de imprensa demolidora contra a comissão de fiscalização e a AG destitutiva: “Somos um órgão que foi eleito pelos sportinguistas e nós é que não cumprimos a parte da democracia? Se eles se demitiram, se não acreditam mais no projeto, adeus. Quem afastou a Mesa e o Conselho Fiscal foram eles. O Manuel Moura dos Santos a pedir ao Governo para tirar a utilidade pública ao Sporting, ele tem noção das barbaridades que dizem? Mas está toda a gente maluca?”. A seguir pedia respostas: “O que é que isto está contra a democracia? Porque é que temos de nos demitir? Onde está escrito isso na lei? Não estamos a tirar voz nenhuma aos associados. Sócios do Sporting, aquela Assembleia Geral de dia 23 não vai haver! Não vai haver!”.

6 de junho de 2018, 23h41

O ex-líder da Juventude Leonina, Fernando Mendes, é detido no centro de Lisboa, após buscas domiciliárias e também na sede da claque. Além de Fernando Mendes, foram detidos mais elementos, todos ligados à Juve Leo: Nuno Torres, o condutor do misterioso BMW azul que entrou na Academia com respetiva permissão já depois do ataque; Ba Amadu, mais conhecido na claque como Aleluia, que também tinha sido identificado por alguns dos presentes no espaço durante a invasão; e Joaquim Costa.

Sporting. Ex-líder da Juve Leo Fernando Mendes entre quatro detidos, buscas na sede da Juve Leo fazem mais uma detenção

7 de junho de 2018, 14h12

Ricardo Sá Pinto excluiu a hipótese de ser treinador do Sporting na próxima época. O técnico português, que orientou os leões entre 2011 e 2012 — e que fez também nove épocas no clube como jogador — disse que, depois da saída do Standard Liège no final da época passada, o futuro “não passará por Portugal”.

7 de junho de 2018, 22h21

A Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral (CTMAG), nomeada pela direção de Bruno de Carvalho para substituir a Mesa da Assembleia Geral, depois de considerar que a Mesa presidida por Jaime Marta Soares cessou funções ao anunciar a intenção de se demitir em bloco, diz ter recebido documentação de uma candidatura às eleições para a Mesa da Assembleia Geral e ao Conselho Fiscal e Disciplinar. Os candidatos são Elsa Tiago Judas e José Subtil de Sousa.

8 de junho de 2018, 18h58

O presidente da Assembleia Geral do Sporting viu o tribunal recusar-lhe o pedido para que impusesse à direção do Sporting que garantisse a segurança da Assembleia Geral Extraordinária marcada para o dia 23 de junho no Altice Arena. Jaime Marta Soares invocou que a sua integridade física podia estar em causa durante a realização da AG que teria que presidir, mas o tribunal considerou que “meras dúvidas ou receios” não chegavam para determinar a sua proteção. Ainda assim, o tribunal reconheceu a Mesa da Assembleia Geral e a sua legitimidade para marcar a AG.

8 de junho de 2018, 20h47

O Conselho Diretivo do Sporting reitera que a Assembleia Geral destitutiva marcada para dia 23 de junho não vai avançar. O comunicado foi feito depois de conhecido o indeferimento da providência cautelar apresentada pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral. “O texto da decisão não podia ser mais claro: ‘Indefere-se liminarmente o presente procedimento cautelar’”.

9 de junho de 2018, 21h03

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, desafiava os “putativos candidatos” à presidência do clube a apresentarem candidaturas formais. Numa publicação na sua página de Facebook que dizia ser em seu “nome pessoal e de mais ninguém”, Bruno de Carvalho acusava ainda os jogadores Rui Patrício e Podence de “crime gravíssimo de difamação e calúnia“, ameaçando os jogadores que rescindiram com processos crime “pelas acusações inacreditáveis que fizeram e que terão de provar em sede de processo cível”. Bruno de Carvalho referia-se mesmo a nomes concretos. “O Sporting CP tem já tantos putativos candidatos que os Sportinguistas têm o futuro assegurado: Álvaro Sobrinho para dono da SAD com Ricciardi, Varandas, Figo, Pedro Baltasar, Poiares Maduro, Dionísio Castro, Rogério Alves, Pedro Madeira Rodrigues. E mais vão surgir. Não têm de ter medo. É decidir se quiserem eleições agora”, escrevia.

10 de junho de 2018, 16h20

O Conselho Diretivo liderado por Bruno de Carvalho publicava no site do Sporting Clube de Portugal parte da proposta de alteração de estatutos que ia a votos na Assembleia Geral de 17 de junho: o líder leonino queria que os sócios reforçassem os seus poderes e legalizassem a criação de vários novos órgãos no clube.

11 de junho de 2018, 15h21

Bruno de Carvalho foi interrompido numa sessão de esclarecimento aos sócios pelo país. Na Quinta do Canavial, em Alenquer, um adepto gritou da plateia: “Cala-te pá!”.

11 de junho de 2018, 16h37

Fernando Correia garantia em conferência de imprensa que a Assembleia Geral de dia 17 se iria mesmo realizar e que, no Pavilhão João Rocha, a partir das 14 horas, os sócios do Sporting seriam soberanos e teriam nas suas mãos todo o poder de decisão no que ao futuro do Sporting e do atual Conselho Diretivo.

11 de junho de 2018, 17h16

William Carvalho, Gelson Martins e Bruno Fernandes rescindem com o Sporting, imitando as decisões tomadas antes por Rui Patrício e Daniel Podence. As três rescisões podem significar um prejuízo de cerca de 75 milhões de euros, tendo em conta o valor de mercado dos jogadores, calculado pelo site Tranfermarkt.

Bruno Fernandes, William e Gelson rescindem com o Sporting

11 de junho de 2018, 21h04

Bruno de Cravalho volta a falar para dizer que se os seis jogadores que rescindiram — Rui Patrício, Podence, Bruno Fernandes, Gelson Martins, William Carvalho e Bas Dost — garantissem, por escrito, que voltavam atrás na decisão de abandonar o Sporting, a direção demitia-se “no imediato”. Mas colocava, no entanto, algumas condições para sair do Sporting: nessa carta, além de exigirem a demissão, os jogadores teriam de garantir que voltavam para o clube para jogar (e não para ser transferidos). E mais: que aceitavam continuar caso houvesse eleições e ele voltasse a vencer.

11 de junho de 2018, 21h28

Bas Dost também apresenta a rescisão unilateral de contrato com o Sporting, naquela que foi a quarta saída do dia depois de William Carvalho, Bruno Fernandes e Gelson Martins, a que se acrescentam ainda Rui Patrício e Daniel Podence.

12 de junho de 2018, 07h51

Marta Soares anunciou que ia avançar com duas novas providências cautelares para garantir “tudo o que é importante” para realizar a Assembleia Geral do dia 23 de junho. Reafirmando que as Assembleias Gerais anunciadas por Bruno de Carvalho para 17 de junho e 21 de julho “terão resultados nulos e sem nenhum efeito”.

12 de junho de 2018, 08h32

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, admite estar interessado nos futebolistas que rescindiram com o Sporting ao ponto de “fazer uma pequena loucura”: “Este ano vou fazer uma pequena loucura que se calhar não devia fazer. Mas vou fazer. Não interessa se é o Bruno, se é o António ou o Joaquim. Há 25 anos brincaram connosco”, disse. O presidente do Benfica referia-se ao “verão quente” de 1993, quando Paulo Sousa e Pacheco rescindiram com o Benfica, tendo em conta os salários em atraso, e foram posteriormente contratados pelo Sporting.

12 de junho de 2018, 12h07

Bruno de Carvalho revela mensagens trocadas entre ele e o agente do jogador Bas Dost e os jogadores Bruno Fernandes e Gelson Martins, que apresentaram as respetivas cartas de rescisão. “Porque vivemos num mundo de enganos que necessitam de verdades”, assim justificava o presidente do Sporting a divulgação das mensagens através do post publicado às 11h31 no Facebook.

Bruno de Carvalho revela mensagens trocadas com Gelson, Bruno Fernandes e agente de Bas Dost

12 de junho de 2018, 15h13

No despacho que determinava a prisão preventiva de mais quatro adeptos no processo relativo às agressões em Alcochete, na Academia do Sporting, o juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro apontava algumas responsabilidades ao presidente do clube leonino. “Tais comentários potenciaram um clima de animosidade que já existia entre a ‘Juve Leo’, os jogadores e a equipa técnica face a alguns inêxitos de resultados desportivos”. O juiz afirmava ainda que Fernando Mendes, o ex-líder da Juve Leo, tinha incitado à prática de crimes violentos dias antes das agressões na Academia do Sporting: “Envolvidos neste espírito de terror, os presentes arguidos engendraram o plano que colocou os ‘soldados’ à frente, de cara tapada, ficando atrás, de cara destapada, conferindo os estragos e as vitórias que, pelo menos neste desafio, tiveram”. E acrescentava que os atos dos arguidos “põem em causa” a prestação da Seleção Nacional no Mundial de 2018, disputado na Rússia, bem como a imagem da equipa a nível internacional: “Os arguidos sabiam que punham em causa a representação de Portugal no mundial de futebol na Rússia, denegrindo a imagem do futebol português perante os organismos internacionais, diminuindo as capacidades física e psíquica dos jogadores e prejudicando gravemente as aspirações de muitos portugueses na vitória da seleção.”

12 de junho de 2018, 18h31

Jaime Marta Soares reiterava, em comunicado, a realização da reunião plenária de dia 23 de junho, mesmo sem a colaboração do Conselho Diretivo. “Esclarece-se, de todo o modo, que a Assembleia Geral convocada irá realizar-se ainda que o Conselho Diretivo continue a incumprir com o seu dever de colaboração para a organização e realização da Assembleia Geral, órgão máximo do clube”.

12 de junho de 2018, 19h56

De um lado, o Conselho Diretivo dizia que tinha uma Assembleia Geral marcada para dia 17 e que a outra, de dia 23, não existia; do outro, a Mesa demissionária garantia que tinha uma Assembleia Geral marcada para dia 23 e que a outra, de dia 17, não era legal. Pelo meio, surgiu um dos poucos pontos que ninguém podia colocar em causa: a apresentação do orçamento, algo que, de acordo com os estatutos, tem de ser apresentado e votado até dia 30 de junho. E o documento, feito pela Direção liderada por Bruno de Carvalho, trazia algumas surpresas, nomeadamente o crescimento das receitas a nível de quotização (sócios), bilhética (gamebox e entradas individuais no Pavilhão) e patrocínios no Sporting para o exercício de 2018/19.

13 de junho de 2018, 12h24

A Comissão de Fiscalização nomeada pela Mesa da Assembleia Geral do Sporting suspende o Conselho Diretivo do clube, uma decisão com “efeitos imediatos”. “Entendeu-se não haver necessidade de instaurar o procedimento prévio de inquérito e partiu-se imediatamente para a suspensão preventiva, tal como tinha sido requerido pelos sócios participantes, e, simultaneamente, deduzir-se a competente nota de culpa. Bruno de Carvalho reagiu à suspensão. No Facebook, o presidente do Sporting disse que se tratava de “uma golpada”, uma “tomada de poder à força” e que “quem manda no Clube são os sócios todos e não meia dúzia”.

13 de junho de 2018, 13h49

Bruno de Carvalho repete que a Comissão de Fiscalização designada pela Mesa de Assembleia Geral é ilegítima, pelo que não acataria a suspensão preventiva e iria continuar a trabalhar normalmente. “Ninguém foi suspenso. Isto foi apenas para estragar o feriado. É uma tentativa de tomar o poder à força”.

13 de junho de 2018, 18h31

Jaime Marta Soares garante que a suspensão preventiva do Conselho Diretivo não prejudica a realização da reunião magna agendada para 23 de junho. Num anexo à convocatória da Assembleia Geral a Mesa da AG elencava atuações que considerava que “têm vindo a delapidar de forma insustentável, e teme-se que irreversível, o património material e imaterial do clube”.

14 de junho de 2018, 13h45

Eduardo Barroso confirma que tinha sido convidado para integrar a Comissão de Gestão do Sporting, na sequência da suspensão preventiva aplicada à direção de Bruno de Carvalho. “Recebi um telefonema, não posso dizer de quem, mas era mandatado para esse efeito, para me convidar para a Comissão de Gestão. Estava no carro, com a chamada em voz alta, e a minha mulher, ao lado, até se indignou pela forma como respondi”. O antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral, que até há pouco tempo era um dos principais defensores de Bruno de Carvalho, considerou o convite “uma provocação miserável”. “Não faz sentido estarem a convidar-me para uma Comissão de Gestão com a qual estou em profundo desacordo. É um golpe inaceitável. Sou um defensor de eleições, tirei o meu apoio a Bruno de Carvalho, mas para dar voz aos sócios. Isto não é dar voz aos sócios”.

Eduardo Barroso confirma convite para Comissão de Gestão. “É uma provocação miserável”

14 de junho de 2018, 14h50

Rúben Ribeiro, extremo contratado em janeiro ao Rio Ave, engrossa a lista de rescisões dos jogadores do plantel leonino. Bruno de Carvalho reagiu de imediato. Na conta de Facebook, o presidente leonino considerou que “as cartas utilizaram todas a mesma minuta”, que “é uma loucura total” e que “vale tudo”. Bruno de Carvalho deixou ainda a pergunta: “O que andam a prometer a estes atletas que estão a arruinar as suas carreiras?”.

14 de junho de 2018, 16h01

O tribunal da Comarca de Lisboa deu razão à providência cautelar interposta por Marta Soares, em que o presidente da Mesa da Assembleia Geral contestava a realização de um encontro geral dos sócios para substituir os órgãos sociais que manifestaram a sua intenção de deixar as funções. O juiz ordenou a “suspensão imediata” dessa AG. A decisão judicial significa um duro golpe para as pretensões de Bruno de Carvalho. O tribunal autoriza mesmo a PSP a usar “as medidas coercivas que entenda adequadas e necessárias” para garantir que o encontro não se realiza. A polícia tem legitimidade para impedir fisicamente os dirigentes do Sporting de se reunirem no dia 17 de junho.

Bruno de Carvalho falava em conferência de imprensa: “Somos um órgão que foi eleito pelos sportinguistas e nós é que não cumprimos a parte da democracia? Se eles se demitiram, se não acreditam mais no projeto, adeus. Quem afastou a Mesa e o Conselho Fiscal foram eles. O Manuel Moura dos Santos a pedir ao Governo para tirar a utilidade pública ao Sporting, ele tem noção das barbaridades que dizem? Mas está toda a gente maluca?”. 

Mensagens, mais rescisões e comissões: e o “sim” à AG

José Sena Goulão

14 de junho de 2018, 16h17

Depois de ter publicado na conta de Facebook mensagens trocadas com Gelson Martins, Bruno Fernandes e o agente de Bas Dost, Bruno de Carvalho divulgou também conversas com Rúben Ribeiro. Rúben Ribeiro respondeu: “Boa noite, presidente! Não sabia se era para responder, peço desculpa! Obviamente que vamos ganhar e com todas as suas palavras ainda nos dão muito mais força para conseguir tudo aquilo que temos ainda para ganhar! Com a nossa força e com a sua força faremos uma só força para ganharmos e dedicarmos a todas as pessoas que amam esta grande instituição que é a nossa família sportinguista. Um grande abraço, presidente, e obrigado”.

14 de junho de 2018, 16h29

O médio argentino Rodrigo Battaglia entrega a carta de rescisão. A informação de que Battaglia rescindira com o clube de Alvalade começou a ser difundida pela imprensa argentina logo na terça-feira, dia 12 de junho. César Luis Merlo, jornalista da estação televisiva de Buenos Aires, TyC Sports, escreveu o seguinte no Twitter: “Rodrigo Battaglia pediu a libertação do contrato que o ligava ao Sporting, na sequência do ‘apertão’ feito pelos barrabrava [ultras e hooligans de futebol]. Alegou que o clube não garantiu a sua segurança e integridade neste episódio.”

14 de junho de 2018, 17h17

Foi com “estupefação” que Bruno Mascarenhas, antigo vogal da Direção do Sporting, reagiu ao comunicado do Conselho Diretivo leonino em que era acusado de apelar à “revolta” junto dos núcleos do clube: “Que eu saiba pedir aos sócios do Sporting Clube de Portugal para se pronunciarem numa Assembleia Geral legítima não é apelar a uma ‘revolta’. Não quero acreditar que qualquer membro da Direção considere, em democracia, que o direito e o exercício do voto são sinónimo de ‘revolta’”.

14 de junho de 2018, 19h33

Rafael Leão — que, de acordo com o DN, já tem um pré-acordo assinado com o Benfica — apresenta a rescisão unilateral do contrato. Rafael Leão estava no balneário da Academia quando dezenas de adeptos invadiram as instalações em Alcochete para agredir jogadores e equipa técnica e reconhceu alguns dos atacantes.

14 de junho de 2018, 20h12

E rescindia o nono. Battaglia lançou fortes suspeitas sobre a intervenção de responsáveis do Sporting no ataque aos jogadores e à equipa técnica na carta de rescisão que enviou para Alvalade. O atleta recordou a postura de Bruno de Carvalho nos dias que antecederam a final da Taça e as mudanças repentinas. O documento assinado por Battaglia surgia em tom próprio, divergindo da “minuta” comum que Bruno de Carvalho disse pautar todas as cartas de rescisão que tinham chegado ao clube de Alvalade até então.

14 de junho de 2018, 20h47

Numa conferência na sala da direção, depois da última no auditória ter sido interrompida por adeptos contestatários, Bruno de Carvalho anunciou que ia viabilizar a Assembleia Geral convocada por Jaime Marta Soares. “Não reconhecemos Jaime Marta Soares como presidente da Mesa da Assembleia Geral, não reconhecemos esta sua comissão de gestão, que eu chamo de pelotão de fuzilamento, não reconhecemos a forma como foi convocada AG de dia 23, mas isso não impede que o encontro se realize. Fpmos expulsos de sócios e não podemos participar na mesma, mas vamos disponibilizar aos associados os serviços e vamos permitir que aquele que consideramos ser o ex-presidente da MAG venha aos serviços conferir todas as formalidades, todos os votos que diz que tem, e nós aos sportinguistas conferimos os meios necessários para que essa AG, que é um julgamento em praça pública onde não vamos podemos estar, decorra”, garantiu Bruno de Carvalho, numa reviravolta forçada pelas descisões dos tribunais.

Bruno de Carvalho viabiliza AG de 23 de junho

15 de junho de 2018, 01h28

Bruno de Carvalho partilhou no Facebook mensagens que trocou com Rafael Leão. A primeira mensagem era de dia 16 de maio, na madrugada do dia seguinte ao ataque organizado a Alcochete. Essa ficou sem resposta. Um mês mais tarde, Bruno de Carvalho enviou um “forte abraço de parabéns” ao jogador às 11h16 da manhã. Bastou um minuto e Leão respondeu: “Obrigado. Estamos juntos, boss.”

15 de junho de 2018, 07h21

A decisão do Conselho de Fiscalização — o organismo temporário nomeado pela Mesa da Assembleia Geral — para expulsar de sócio Bruno de Carvalho, impedindo que participasse na Assembleia Geral de dia 23, terá aberto brechas entre alguns dos seus membros. Um dos elementos da Comissão de Fiscalização, Rita Garcia Pereira, considerava — de acordo com Bruno de Carvalho –, que o presidente suspenso continuava a gozar dos seus direitos como sócio do clube. Entre os quais, o direito de sentar-se no Altice Arena e defender-se perante os sportinguistas da proposta de destituição .

15 de junho de 2018, 10h39

Acuña disse a várias pessoas que não sentia condições para continuar em Alvalade. As agressões no estádio e no aeroporto após a derrota com o Marítimo; o episódio nas garagens após o regresso; a conversa com Bruno de Carvalho onde, de acordo com alguns jogadores, o líder leonino terá confidenciado que elementos das claques lhe iam pedindo a sua morada; o ataque na Academia que o tinha como alvo. Esvaziou o cacifo.  Mas não rescindiu ainda e depois dos últimos desenvolvimentos, é provável que possa ter de voltar a colocar tudo no mesmo espaço, ou seja transferido.

15 de junho de 2018, 11h25

Um juiz reconheceu que Jaime Marta Soares continuava em funções como presidente da Assembleia Geral do Sporting e decidiu obrigar a direção de Bruno de Carvalho a pagar as despesas de realização da Assembleia Geral. Adeodato Brotas, do Juízo Central Cível de Lisboa, foi claro: “O Conselho Directivo não tem poder/competência estatutária ou legal, para nomear uma “Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral” (ou uma Comissão de Fiscalização) como decorre dos diversos números e alíneas do artigo 56o dos Estatutos do Clube. Por conseguinte, o requerente mantém-se no cargo de Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting (Clube).”

15 de junho de 2018, 17h15

Bruno de Carvalho voltou ao Facebook para atacar Jaime Marta Soares, num dia em circulou a informação de que a PSP teria estado em Alvalade para recolher os cadernos eleitorais com vista à realização da Assembleia Geral de dia 23.

16 de junho de 2018, 20h26

Jaime Marta Soares revelou quem são os 11 membros da Comissão de Gestão que governará provisoriamente o Sporting, face à suspensão imposta à Direção do clube. Artur Torres Pereira lidera a equipa de gestão, que inclui ainda o antigo presidente dos leões Sousa Cintra. Integram ainda esta comissão de gestão Luís Marques (jornalista e antigo administrador da RTP), Silvino Manuel Gomes Sequeira, ex-autarca, António Augusto Guterres, professor universitário, Jorge Gorita, militar de carreira, Alexandre Cavalleri e António Rebelo, empresários, Rui António Moço, economista, José Diogo Leitão, gestor e Pedro Roque Pinho Reis, advogado.

16 de junho de 2018, 21h31

Bruno de Carvalho dá uma entrevista à SIC e deixa uma garantia: se quisesse, a Assembleia Geral de 23 de junho em que se votará a sua destituição nem sequer aconteceria. “Basta-me meter uma providência cautelar com a verdade sobre os factos e não há Assembleia Geral nenhuma.” Mas diz que não o fará e os sócios do Sporting vão mesmo ser ouvidos.

Bruno de Carvalho anuncia que ia viabilizar a Assembleia Geral convocada por Jaime Marta Soares. “Não reconhecemos Jaime Marta Soares como presidente da Mesa da Assembleia Geral, não reconhecemos esta sua comissão de gestão, que eu chamo de pelotão de fuzilamento, não reconhecemos a forma como foi convocada AG de dia 23, mas isso não impede que o encontro se realize".

O novo treinador

Getty Images

18 de junho de 2018, 21h30

Sinisa Mihajlovic, é anunciado como novo treinador do Sporting. “O primeiro objetivo é fazer melhor do que no ano passado. Queremos ser protagonistas no campeonato e fazer uma boa Liga Europa”, afirmou durante a apresentação aos sócios, transmitida no canal do clube. O treinador sérvio revelou que o presidente o procurou “com insistência” e que já estava a trabalhar com Bruno de Carvalho e Augusto Inácio há algum tempo. “Estamos em plena sintonia com o presidente”, acrescentou.

Sinisa Mihajlovic: a infância na Croácia, os livres diretos, o mau feitio e uma carreira inteira em Itália

18 de junho de 2018, 21h59

O presidente da comissão de gestão do Sporting, Artur Torres Pereira, comentou a contratação de Mihajlovic para treinador do clube de Alvalade dizendo que Bruno Carvalho “se deveria abster de tomar decisões que têm a ver com o clube”, uma vez que está “suspenso das suas funções”. “O que está em causa no Sporting neste momento transcende em muito um guarda-redes, um jogador, ou dois ou três que o conselho diretivo possa querer contratar nos próximos dias, antes da Assembleia Geral do dia 23. Oos sócios estão a ser marginalizados”.

18 de junho de 2018, 22h14

Elementos da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, incluindo o presidente Jaime Marta Soares, reuniram-se no Altice Arena, em Lisboa, com funcionários do clube e forças de segurança para preparar “ao pormenor” a Assembleia Geral de sábado.

19 de junho de 2018, 08h50

A Sporting SAD considerou que não existia fundamentação na ação intentada pela Holdimo para destituir a administração liderada por Bruno de Carvalho e que ia responsabilizar o acionista por todos os danos e prejuízos causados.

19 de junho de 2018, 09h19

O Sporting divulgou mais um comunicado a dar conta da informação prestada a 12 de junho à CMVM pelo auditor do clube, a PwC, sobre o impacto negativo das rescisões dos jogadores do clube e “o risco de liquidez da Sporting SAD”. A avaliação foi feita com base “nas recentes rescisões de contratos de trabalho desportivo de jogadores” da SAD que são “considerados dos mais valiosos em termos de mercado” e sobre os quais o Sporting está impossibilitado de vender, tendo em conta que rescindiram. Até agora foram nove os jogadores do clube que apresentaram cartas de rescisão, alegando justa causa, Rui Patrício, Daniel Podence, William de Carvalho, Gelson Martins, Bas Dost, Rúben Ribeiro, Rafael Leão, Bruno Fernandes e Battaglia.

20 de junho de 2018, 11h54

Bruno de Carvalho voltou ao Facebook para atacar mais uma vez a Comissão de Gestão do Sporting. Num post publicado depois de o Conselho Diretivo ter anunciado providências cautelares e queixas-crime por difamação contra os membros demissionários da Mesa da Assembleia Geral. “O que esta gente, que se diz sportinguista, está a fazer ao Sporting CP e à SAD é um ato de terrorismo, similar ao que aconteceu na Academia a 15 de maio. Mas com uma diferença: é que estes promovem um ataque terrorista contra 3.5 milhões de sportinguistas, com a cara destapada e com a conivência de alguma comunicação social!”, escreveu Bruno de Carvalho, várias horas depois de ter impedido a entrada da Comissão de Gestão no estádio de Alvalade.

19 de junho de 2018, 13h13

Bruno de Carvalho voltou a utilizar as redes sociais, desta vez para se dirigir a três membros demissionários do Conselho Directivo, que assinaram um artigo de opinião conjunto no jornal Record: Luís Loureiro, Rita Matos e Jorge Sanches. No artigo, com 15 pontos, em que visavam o Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho é acusado de “desagregar em vez de agregar” e de se revelar “inesperadamente um déspota”. Os três membros demissionários do Conselho Directivo afirmam ainda que “um presidente que possa perder o apoio e a confiança de 85% dos dirigentes que integrarem as suas listas aos órgãos sociais e não retire daí nenhuma ilação não deve ser presidente”. Em resposta a esse texto, num post com o título “Ser presidente de um clube com traidores como vocês ‘é chato’”, Bruno de Carvalho responde, chamando-lhes “ratos e cobardes”.

18 de junho de 2018, 14h17

Bruno de Carvalho enviou uma carta à Comissão Fiscalizadora nomeada por Jaime Marta Soares — da qual fazem parte membros como João Duque, Henrique Monteiro e Rita Garcia Pereira — onde declarava não reconhecer qualquer legitimidade à dita Comissão. “O Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal não reconhece a V. Exas. nenhuma legitimidade para o exercício das funções de que se arrogam estar investidos, incluindo o poder para desencadear, a partir da Avenida Miguel Bombarda, processos disciplinares e suspensões imediatas, e muito menos para ordenar seja o que for”.

18 de junho de 2018, 19h23

O Sporting oficializou o sérvio Sinisa Mihajlovic como o novo treinador da equipa principal de futebol informando a CMVM do negócio. O antigo treinador da Fiorentina e da Sampdoria assinou por três temporadas com o clube de Alvalade e vai receber quase dois milhões de euros por ano mais prémios. Mihajlovic é o primeiro treinador estrangeiro a orientar o Sporting durante a era Bruno de Carvalho. O treinador sérvio de 49 anos chega ao Sporting depois de ter sido despedido do Torino em janeiro deste ano.

20 de junho de 2018, 19h40

O Sporting partilhou no Facebook várias informações necessárias aos sócios que estão a pensar dirigir-se ao Altice Arena: a abertura de portas está marcada para as 12h00, enquanto que o início dos trabalhos da assembleia-geral está agendado para as 14h00, dando assim duas horas de margem de manobra para os sócios chegarem e entrarem. A entrada será feita através da porta principal da Altice Arena: a que fica virada para o Centro Comercial Vasco da Gama. Para participar é necessário levar o cartão de sócio atualizado ou o cartão Gamebox 17/18, assim como um documento de identificação civil com fotografia (cartão de cidadão, bilhete de identidade, carta de condução ou passaporte); Por último, os sócios precisam de ter a quota de maio em dia: vai existir um ponto para pagamento de quotas na bilheteira Norte da Altice Arena.

21 de junho de 2018, 00h18

A Comissão de Vencimentos da Sporting SAD mostrou incómodo e desconforto em aprovar no final de 2017 uma alteração do protocolo de prémios apresentada pela Comissão Executiva de Bruno de Carvalho, recusando também a comparação com a política de remunerações variáveis dos principais rivais dos leões e o facto de ser maior do que no Sporting. Ainda assim, a mudança, devidamente fundamentada, acabou mesmo por acontecer poucos meses depois e o presidente passou a receber prémios pelo 3º. lugar.

21 de junho de 2018, 13h41

Bruno de Carvalho apelou a que “todos os sócios do Sporting CP” para que vissem a Sporting TV às 21h” para serem “esclarecidos” e tomarem “uma decisão refletida, seja ela qual for”, na Assembleia Geral. “Se não o virem não tiram as dúvidas e irão decidir apenas pela intoxicação que está a ser feita por alguns órgãos de comunicação social. Não deixem outros decidir por vocês, nem decidam com informações erradas ou manipuladas. Ouçam. Analisem. Pensem. Decidam!”.

21 de junho de 2018, 13h43

O sócio do Sporting Pedro Proença avançou com uma providência cautelar para que fosse criada uma equipa conjunta para fiscalizar a Assembleia Geral de sábado.

21 de junho de 2018, 15h29

A equipa de futebol do Sporting regressou aos trabalhos, com os habituais exames médicos. Apesar do defeso ‘agitado’, a dois dias de uma Assembleia Geral que levará os sócios a votar uma possível destituição do presidente, Bruno de Carvalho, os trabalhos arrancaram com normalidade.

21 de junho de 2018, 21h01

A Comissão de Fiscalização do Sporting, nomeada por Jaime Marta Soares e coordenada por Henrique Monteiro, que conta ainda com João Duque, António Paulo Santos, Luís de Sousa e Rita Garcia Pereira, fez um parecer muito crítico a propósito das contas que tinham sido orçamentadas para votação dos associados em relação ao exercício de 2018/19 no clube. “A sua aprovação é um cheque em branco à Direção para o aumento do passivo, agravada pelo facto de ser principalmente agravado por despesas correntes”, conclui o documento que defende a sua reprovação em Assembleia Geral Ordinária pelos associados.

21 de junho de 2018, 21h08

Jaime Marta Soares assegurou que a decisão dos sócios será cumprida na Assembleia Geral do Sporting, este sábado, dia 23, e que “as portas estão abertas” caso Bruno de Carvalho queira participar. O líder da mesa da AG disse-se convicto de que “vai ser uma extraordinária Assembleia Geral”, com um número esperado de sócios superior a 50 mil. “Será uma assembleia serena, onde os sócios se vão respeitar uns aos outros”, sublinhou. E confirmou que o presidente do Sporting poderá voltar a recandidatar-se caso seja destituído e que “as portas estão abertas” para Bruno de Carvalho participar na AG. Se o contrário acontecer “só resta à MAG marcar eleições dentro de 60 dias”.

21 de junho de 2018, 22h

Bruno de Carvalho e Elsa Judas participam num debate na Sporting TV onde havia três cadeiras vazias: as reservadas a Jaime Marta Soares, Artur Torres Pereira (que à hora do debate estava a dar uma entrevista na TVI24) e Henrique Monteiro. O presidente do Sporting, suspenso de funções, garantiu que se for destituído na Assembleia Geral de dia 23 e a votação for fidedigna, abandona a presidência do clube e não se recandidata à liderança. Depois acusou o antigo médico do clube e anunciado candidato à presidência do clube, Frederico Varandas, de o ter abandonado durante o jogo entre o Sporting e o Paços de Ferreira com dores nas costas: “A dor era tão grande que por vezes corriam-me lágrimas que eu só esperava que não fossem filmadas para não pensarem que estava triste pelos assobios ou pelo Sporting.  O doutor Varandas abandonou-me no banco de suplentes, eu não me conseguia levantar com dores inenarráveis nas costas. Abandonou-me para ir fazer a volta olímpica e deixou-me ali sozinho”.

21 de junho de 2018, 22h56

O presidente da Comissão de Gestão nomeada por Jaime Marta Soares acusou de “ilegítima e ilegal” a decisão de ser barrada a sua entrada em Alvalade: “É difícil de entender que alguém possa fazer algo semelhante com o ex-presidente do Sporting Clube de Portugal como Sousa Cintra”, afirmou. “A história é fértil em exemplos de ditadores e de tiranos que são notáveis manipuladores e quando estão em condições de poder institucionalizado a fuga é em frente: contra o tempo, contra tudo e contra todos para ganhar cada vez mais poder e poder afirmar a sua autoridade. E foi isso que aconteceu no Sporting”.

22 de junho de 2018, 13h06

A SAD do Sporting começou a enviar notificações aos jogadores da equipa principal de futebol que rescindiram de forma unilateral com o clube, alegando justa causa, exigindo compensações pelas cláusulas de rescisão. No total, o valor que os leões reclamam junto dos nove jogadores chega a 535 milhões de euros.

Sporting exige 535 milhões a futebolistas que rescindiram

22 de junho de 2018, 14h10

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Lisboa vai aplicar na Assembleia Geral do Sporting, este sábado no Altice Arena, “um dispositivo de segurança similar ao de um jogo de alto risco”. O Comando Metropolitano de Lisboa avaliou o risco para a Assembleia depois de várias reuniões mantidas com os diversos intervenientes ligados à organização.

22 de junho de 2018, 20h30

Bruno de Carvalho perdeu as duas providências cautelares que apresentou. E desistia de outras duas já homologadas. É a capitulação judicial de BdC na véspera da AG destitutiva.

A capitulação judicial de Bruno de Carvalho contra o resto do mundo

22 de junho de 2018, 21h00

Jaime Marta Soares acusa Bruno de Carvalho de fazer “chantagem” para modificar à sua maneira os boletins de voto da AG deste sábado. E diz que a reunião magna leonina “está em perigo” em entrevista à TVI. Mas mostra-se disposto a aceitar as reinvindicações.

22 de junho de 2018, 22h00

Bruno de Carvalho dá uma entrevista à RTP3 onde anuncia que não vai à Assembleia Geral do Sporting e que não volta ao clube e nunca mais se recandidata se for destituído. Mas se não for, Jaime Marta Soares tem de sair.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.