O Peru chega ao Mundial 36 anos depois da última participação. Com o argentino Ricardo Gareca ao comando (desde 2015), os peruanos terminaram a zona de qualificação sul-americana no quinto lugar, conseguindo ficar à frente do Chile, bicampeão da Copa América, devido à diferença de golos.

No play-off o adversário foi a Nova Zelândia (vencedora da Oceânia) e, depois do empate a zero na primeira mão, a segunda terminou com uma vitória por 2-0.

Os meses que antecederam o Mundial foram marcados pelo incerteza em relação a Paolo Guerrero. O avançado do Flamengo foi suspenso em novembro do ano passado, depois de ter acusado o uso de doping no jogo contra a Argentina, em outubro. Mas em maio, o Tribunal Federal da Suíça suspendeu a pena do TAS (14 meses) e abriu as portas do Mundial ao goleador.

No grupo C o adversário direto será a Dinamarca, com quem o Peru joga logo na primeiro jornada, em Saransk. Há vários jogadores da seleção peruana com ligações a Portugal: Alberto Rodríguez passou por Braga, Sporting e Rio Ave; Luis Advíncula esteve emprestado ao Vitória de Setúbal na época 2014/2015; Hurtado é jogador do Vitória de Guimarães; e Carrillo já passou por Sporting e Benfica, tendo estado na última época emprestado ao Watford.

Pedro Gallese; Luis Advíncula, Alberto Rodríguez, Christian Ramos e Miguel Trauco; Renato Tapia, Yoshimar Yotún e Christian Cueva; Edison Flores, Jefferson Farfán e Paolo Guerrero

Ricardo Gareca

Jefferson Farfán

Convocados

Guarda-redes: Pedro Gallese (Veracruz), Carlos Cacedá (Deportivo Municipal) e José Carvallo (UTC)

Defesas: Aldo Corzo (Universitario), Luis Advíncula (Lobos BUAP), Christian Ramos (Veracruz), Miguel Araujo (Alianza Lima), Alberto Rodríguez (Atletico Junior), Anderson Santamaría (Puebla), Miguel Trauco (Flamengo) e Nilson Loyola (Melgar)

Médios: Renato Tapia (Feyenoord), Pedro Aquino (Lobos BUAP), Yoshimar Yotún (Orlando City), Paolo Hurtado (Vitória de Guimarães), Christian Cueva (São Paulo), Andy Polo (Portland Timbers) e Wilder Cartagena (Veracruz)

Avançados: Edison Flores (Aalborg), André Carrillo (Watford), Raúl Ruidíaz (CA Morelia), Jefferson Farfán (Lokomotiv de Moscovo), Paolo Guerrero (Flamengo)

Ranking FIFA: 11.º

Presenças em fases finais: 4

Última participação: 1982

Melhor resultado: Quartos-de-final (1970) e segunda fase* (1978)

Antevisão: “Não vamos ao Mundial apenas para participar — vamos para competir. Nós conseguimos ser uma equipa competitiva. O Peru tem que ir para ganhar. Pela história que temos e pelas pessoas que nos vêm ver”, disse Ricardo Gareca à World Soccer.

*Torneio disputado noutro formato. Primeira fase organizada em quatro grupos, cujos dois primeiros classificados se apuravam para a segunda fase. Aqui, o vencedores de cada grupo ficavam apurados para a final do torneio. O Peru ficou em último no Grupo B da segunda fase.