Há dois anos, estaria aqui escrito que o tão sublinhado conservadorismo de Fernando Santos levava Éder para França e não o jovem com sangue na guelra André Silva. Dois anos depois, sabemos como é que essa história terminou. E também sabemos que, desta vez, Éder não integrou mesmo a convocatória. Ao contrário de André Silva. A ele juntam-se Beto, Rúben Dias, Mário Rui, Ricardo Pereira, Manuel Fernandes, Bruno Fernandes, Gelson Martins e Gonçalo Guedes: todos eles jogadores que viram Cristiano Ronaldo levantar o troféu de campeão da Europa através da televisão.

Em 2016, se já conhecíamos alguns deles mas não os imaginávamos com a camisola da seleção principal, outros nem sequer faziam parte do cenário futebolístico nacional. Esta seleção, se acusa alguma escassez de recursos na defesa (Bruno Alves tem 36 anos, José Fonte tem 34 e Pepe 35), tem juventude, vontade de ganhar e ímpeto na frente de ataque.

Cristiano Ronaldo será, como vem sendo habitual desde 2004, o principal destaque da seleção portuguesa. O capitão português chega à Rússia depois de uma época que até começou de forma algo tímida, mas acabou com a quinta Bola de Ouro da carreira e a terceira Liga dos Campeões consecutiva.

O primeiro jogo, contra a Espanha, é o derradeiro teste ao esquema defensivo com posse de bola de Fernando Santos. O campeão da Europa apresenta-se na Rússia enquanto candidato mas sem ser favorito: se empatarmos os jogos todos até à final, ninguém se queixa…

Rui Patrício; Cédric Soares, Pepe, José Fonte, Raphael Guerreiro; William Carvalho, João Moutinho, João Mário; Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo e André Silva.

Fernando Santos (português)

Cristiano Ronaldo (Real Madrid)

https://www.youtube.com/watch?v=5hX_XqpyZ_g

Convocados

Guarda-redes: Anthony Lopes (Lyon), Beto (Göztepe) e Rui Patrício (Sporting).

Defesas: Cédric Soares (Southampton), Ricardo Pereira (Leicester), Pepe (Besiktas), José Fonte (Dalian Yifang), Bruno Alves (Glasgow Rangers), Rúben Dias (Benfica), Raphaël Guerreiro (Borussia Dortmund) e Mário Rui (Nápoles).

Médios: William Carvalho (Sporting), João Moutinho (Mónaco), João Mário (Inter Milão/West Ham), Manuel Fernandes (Lokomotiv Moscovo), Adrien Silva (Leicester), Bruno Fernandes (Sporting).

Avançados: Bernardo Silva (Manchester City), Gonçalo Guedes (Valência/PSG), Gelson Martins (Sporting), Ricardo Quaresma (Besiktas), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e André Silva (AC Milan).

Ranking FIFA: 4.º

Presenças em fases finais: 7

Última participação: 2014

Melhor resultado: 3.º lugar em 1966

Antevisão: “No Euro 2016 não havia Brasil, Argentina, Colômbia ou Uruguai. Vamos ser honestos, somos candidatos, mas não favoritos”, disse Fernando Santos, à World Soccer.