A última vez que vimos o Brasil num Mundial de futebol, Júlio César chorava, David Luiz pedia desculpa ao povo brasileiro e a formação canarinha sofria a derrota mais pesada da sua história, no escândalo de maiores proporções pós-Maracanazo. Desde a eliminação caseira sofrida ante a Alemanha por 7-1 na prova de 2014 até ao Rússia 2018, muito mudou na seleção brasileira, com apenas sete jogadores então presentes na convocatória de Scolari a repetirem a chamada para a competição deste ano.

Foram 16 os atletas a perderem o lugar nos pentacampeões mundiais, que viram também mudanças no staff técnico da equipa – e que mudanças! Tite substituiu Dunga em Junho de 2016, pegou numa seleção com apenas duas vitórias em seis jogos e deu a volta ao texto: o Brasil tornou-se na primeira equipa a carimbar presença para terras russas, após a vitória por 3-0 sobre o Paraguai, em Março de 2017.

Os canarinhos somaram uma dezena de triunfos em 12 encontros sob o comando de Tite e arrumaram a concorrência, com mais dez pontos do que o Uruguai, segundo classificado da zona de qualificação sul-americana, o ataque mais letal (41 golos) e a defesa menos batida (11 golos).

Com Neymar recuperado da cirurgia ao quinto metatarso do pé direito, que o retirou dos relvados durante três meses, Gabriel Jesus na sua época de afirmação e diamantes como Philippe Coutinho, Roberto Firmino ou Douglas Costa como suplentes de luxo, talento não falta a um eterno candidato às grandes conquistas internacionais, que procura o sexto título de campeão do Mundo, após a última vitória festejada em 2002.

Alisson; Miranda, Thiago Silva, Danilo e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Fernandinho; Willian, Neymar e Gabriel Jesus.

Tite

Neymar

Convocados

Guarda-redes: Alisson (Roma), Ederson (Manchester City) e Cássio (Corinthians)

Defesas: Marquinhos (Paris Saint-Germain), Miranda (Inter de Milão), Thiago Silva (Paris Saint-Germain), Geromel (Grémio), Marcelo (Real Madrid), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Fágner (Corinthians) e Danilo (Manchester City)

Médios: Casemiro (Real Madrid), Paulinho (Barcelona), Fernandinho (Manchester City), Fred (Shakhtar Donetsk), Renato Augusto (Beijing Guoan), Philippe Coutinho (Barcelona) e Willian (Chelsea)

Avançados: Neymar (Paris Saint-Germain), Douglas Costa (Juventus), Taison (Shakhtar Donetsk), Roberto Firmino (Liverpool) e Gabriel Jesus (Manchester City)

Ranking FIFA: 2.º

Presenças em fases finais: 20

Última participação: 2014

Melhor resultado: Campeão (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002)

Antevisão: “Brasil, Espanha, França, Alemanha, Argentina e Bélgica são as minhas apostas para favoritos. Não sei se é uma ideia perigosa ou motivadora, depende da percepção. Temos de aceitar o favoritismo e prepararmo-nos bem”, disse Tite, à World Soccer