Com 27 pontos conquistados nos dez jogos de qualificação para o Mundial, a Suíça foi uma das formações mais consistentes da zona de apuramento europeia. Apesar de ter tido a necessidade de jogar o playoff de acesso ao campeonato do Mundo frente à Irlanda do Norte (por causa da única derrota sofrida pelos helvéticos, frente a Portugal, por 2-0, que relegou os comandados de Vladimir Petkovic para a segunda posição do grupo B), a Suíça cumpriu as expectativas e não teve dificuldades em carimbar a presença na Rússia, onde integra o grupo E, juntamente com Brasil, Costa Rica e Sérvia.

Com uma ideia de jogo assente num meio-campo povoado por cinco jogadores com força e robustez, os helvéticos contam com um nome bem conhecido do campeonato português como principal arma apontada à baliza adversária. Seferovic, avançado que somou menos minutos pelo Benfica do que desejaria, assinou quatro golos na fase de qualificação e é a principal aposta ofensiva de Vladimir Petkovic.

Cada vez mais habituada aos grandes palcos internacionais, a seleção suíça conta ainda com uma defesa experiente, que será posta à prova logo no primeiro encontro, frente ao super favorito Brasil. Seguir-se-ão os jogos contra Sérvia e Costa Rica, que se adivinham decisivos na provável luta pelo segundo lugar do grupo.

Yann Sommer; Johan Djourou, Fabian Schär, Stephan Lichtsteiner e Ricardo Rodriguez; Denis Zakaria, Granit Xhaka, Xherdan Shaqiri, Blerim Dzemaili, Breel Embolo; Haris Seferovic

Vladimir Petkovic

Granit Xhaka

Convocados

Guarda-redes: Yann Sommer (Borussia Mönchengladbach), Roman Bürki (Dortmund) e Yvon Mvogo (Leipzig)

Defesas: Stephan Lichtsteiner (Juventus), Nico Elvedi (Borussia Mönchengladbach), Manuel Akanji (Dortmund), Michael Lang (Basileia), Ricardo Rodriguez (AC Milan), Johan Djourou (Antalyaspor), Fabian Schär (Deportivo da Corunha) e François Moubandje (Toulouse)

Médios: Remo Freuler (Atalanta), Granit Xhaka (Arsenal), Valon Behrami (Udinese), Steve Zuber (Hoffenheim), Blerim Dzemaili (Bolonha), Gelson Fernandes (Eintracht Frankfurt), Denis Zakaria (Borussia Mönchengladbach) e Xherdan Shaqiri (Stoke City)

Avançados: Breel Embolo (Schalke 04), Haris Seferovic (Benfica), Mario Gavranovic (Lugano) e Josip Drmic (Borussia Mönchengladbach)

Ranking FIFA: 6.º

Presenças em fases finais: 10

Última participação: 2014

Melhor resultado: Quarto de final (1934, 1938 e 1954)

Antevisão: “É bom defrontar o Brasil logo no primeiro jogo. São claramente os favoritos do nosso grupo e, assim, podemos tirar rapidamente esse adversário da cabeça e concentrarmo-nos nos outros dois oponentes, que também são complicados ”, disse Vladimir Petkovic, à World Soccer