João Cândido da Silva

Convidado

Nasci em Lisboa, em 1960. Estudei Direito na Universidade de Lisboa e fotografia na Ar.Co. Comecei a carreira de jornalista em 1986, no semanário Tempo. Trabalhei no Expresso, participei na fundação do Público, onde fui editor e subdiretor. Passei pelo Semanário e pelo O Independente. Desempenhei as funções de diretor-adjunto no Diário Económico e no Jornal de Negócios. Fui director das revistas Carteira e Dia D. Colaborei, como "free lancer", com as revistas Grande Reportagem e Volta ao Mundo.

Artigos publicados

Sistema Financeiro

Caixa: da próxima vez será diferente? /premium

A Caixa está melhorzinha, mas as contas permanecem contaminadas pelos desvarios do passado. O problema é que não há sinais de que da próxima vez será diferente.
Corrupção

O embuste dos campeões nacionais /premium

A defesa dos centros de decisão nacional sustentou muita destruição de valor. E abriu portas aos abusos sem paralelo protagonizados por José Sócrates e Manuel Pinho.
Rui Rio

PSD, a versão diesel do PS /premium

Em política, a coerência tem um valor relativo, sujeito às mudanças de conjuntura. Se o PSD parece a versão diesel do PS, Pedro Passos Coelho e os seus apoiantes não podem sacudir a água do capote.
Assembleia Da República

Voando sobre um ninho de cacos

325
Com a habilidade demonstrada para fazerem voar dinheiro da tesouraria pública, oito deputados estilhaçaram mais um pouco do respeito de que pretendem ser credores.
Finanças Públicas

Centeno construiu um castelo de cartas

Mário Centeno sabe que os esforços realizados produziram frutos, mas que não resultaram de qualquer reforma estrutural. As finanças públicas estão melhores, mas o acréscimo de saúde não é robusto.
Ministério da Cultura

Fogo na peça

310
O episódio dos subsídios ao teatro mostrou um Governo que caminha em ziguezagues para sobreviver. Há dinheiro, mas apenas para quem ameace chegar fogo à peça.
Finanças Públicas

O país está doente? Mas as contas estão saudáveis

118
O défice público, descontado o efeito dos apoios à Caixa, baixou para 0,9%? Óptimo. O feito de Mário Centeno corresponde a um processo duradouro de consolidação orçamental? Veremos.
Facebook

Nem Orwell conseguiu ir tão longe

No ambiente irrespirável das redes sociais, não admira que surja gente sem escrúpulos disposta a manipular. É o terreno ideal para espalhar as brasas que ameaçam consumir as democracias.
Reforma do Estado

Pouco barulho por coisa nenhuma

Deslocalizar as sedes de instituições que estão em Lisboa e despejar responsabilidades sobre os autarcas. A descentralização de António Costa e Rui Rio ameaça ser feita de muita parra e pouca uva.
Eurogrupo

Os insólitos casos de Robert Laing e Mário Centeno

310
Pedro Passos Coelho, Vítor Gaspar e Maria Luis Albuquerque acabam de ganhar um apoiante inesperado. Chama-se Mário Centeno, na versão de presidente do Eurogrupo.
Montepio

A 15ª obra de misericórdia da Santa Casa

112
Fernando Negrão esteve bem ao escolher o tema do Montepio para confrontar António Costa. A missão da Santa Casa não é a de se comprometer com o resgate de bancos em apuros.
Sistema Financeiro

Justos e pecadores

Entre os lesados do BES ou do Banif houve pessoas ludibriadas. Mas houve, igualmente, situações em que a imprudência ou a ganância foram a chave que abriu a porta para o desastre.
Crescimento Económico

Serpentinas, papelinhos e uma pirueta

Portugal não crescia tanto desde 2000. É uma boa notícia, mas também a cereja no topo de um bolo em que a receita é dominada pela fantasia.
Mário Centeno

Cristiano Ronaldo ou Pedro Barbosa?

Mário Centeno reconheceu que o Estado foi pior pagador em 2017. Pode ser o primeiro passo para desmentir que é um Ronaldo lá fora e um Pedro Barbosa cá dentro.
Finanças

O chapéu da habilidade e o casaco de visão

Combater a debilidade da poupança exige visão de longo prazo. Não é uma batalha que produza resultados com visibilidade imediata ou dividendos políticos ao virar da esquina.
Imprensa

Obrigado, Nuno Rocha

184
Lutou pela liberdade de Imprensa numa era em que o mais fácil era baixar os braços. Teve coragem e visão. Merece um lugar de destaque na história dos media no regime democrático.
Banca

Fora da caixa

Os malabaristas das máquinas partidárias gostam de circo, mas não costumam ter grande interesse em ocupar cargos vistosos quando há pouco dinheiro e um monte de problemas.
Startups

Empreendedores por conta de outrem

Empreendedores são todos aqueles que, mesmo trabalhando por conta de outrem, partilham o risco e são partes interessadas no sucesso do projeto.
BPI

Ser dono disto tudo não é um mar de rosas

535
António Costa já veio afirmar que o tema BPI transcende, agora, a sua capacidade de intervenção. É tarde para sacudir a água do capote.
A página está a demorar muito tempo.