Maria João Marques

Colunista

Artigos publicados

Crónica

Profissão: político, cantor e trapezista de circo /premium

Melhor é ficarmos com quem conhecemos, não experimentar pessoas novas (suores frios), não dar ideias a novatos (horror), controlar tudo, não permitir que alguém descambe o belíssimo status quo (credo)
Legislativas 2019

PSD: para as cidades, e em força /premium

Não é desprezar o país rural ou fora dos grandes centros urbanos. É perceber que vive metade do país só em Grande Lisboa e Grande Porto e que são estes os eleitores mais difíceis de satisfazer.
Assalto em Tancos

Casos de justiça podem ser avaliados politicamente /premium

290
Não necessitamos de saber se Costa sabia ou não sabia das manigâncias de que Azeredo Lopes está acusado, porque já sabemos o suficiente para avaliar politicamente pois Azeredo foi uma escolha de Costa
Alterações Climáticas

A diabolização de Greta Thunberg /premium

111
Temos um tom de voz alto, porque diabo não falamos como os homens? Não construímos discursos da mesma forma que os homens, enfim, não entendemos que os homens são a norma da humanidade...
Eleições Legislativas

Os equívocos da direita /premium

Cristas e Rio estiveram francamente bem nos debates e entrevistas da pré-campanha. Foi uma pena que tenham desperdiçado tanta boa vontade, com erros crassos e acumulados, antes disso.
Capitalismo

As grandes empresas estão a destruir o capitalismo /premium

198
O tamanho das empresas tem de ser contido. Os reguladores reforçados e tornados mais eficientes (em Portugal são risíveis). As empresas pequenas e médias e recém-nascidas obrigatoriamente facilitadas.
Direitos das Mulheres

Mais mulheres políticas não; mais prostitutas sim /premium

415
São estas as consequências das políticas que a Iniciativa Liberal, com a leviandade e superficialidade do costume (nada é estudado, nada é medido), propõe.
Estado

As gémeas na garagem. E o Estado que as colocou lá /premium

864
Se a AT suspeitasse que as gémeas que vivam numa garagem na Amadora tinham impostos para pagar, tudo teria sido revirado até descobrir o paradeiro das infratoras fiscais.
Ambiente

Como assim é bom termos baixa natalidade? /premium

154
O projeto The Great Decrease tem colocado cartazes celebrando baixas taxas de natalidade, também em Portugal. Baixa natalidade é sintoma e causa de uma sociedade decadente. Não há nada a celebrar.
Combustível

O direito à greve não é uma vaca sagrada /premium

383
Costa vive agora a sua oportunidade de se mostrar um líder com autoridade e lá veio lampeiro salvar-nos do cataclismo energético. Dá vontade de rir. Papas e bolos para enganar os tolos.
Feminismo

Aí está o grande problema nacional: as feministas /premium

960
É ver como no governo (sem quotas) as mulheres não chegam a 20%. Na câmara de Lisboa, em 9 vereadores o PS tem só 2 mulheres e Manuel Salgado, que felizmente vai sair, será substituído por um homem.
Assembleia Da República

Atentados às crianças /premium

171
Não vejo bem como defender um quadro legal que permite que o agressor continue a contactar a vítima criança, muitas vezes usando-a para atormentar a mãe (o que também atormenta a criança).
Igualdade

As quotas para mulheres foram um sucesso /premium

168
Quaisquer que sejam as causas, o facto é que as quotas levaram para o Parlamento (e órgãos municipais) muito boas políticas. Não houve quebra de mérito, pelo contrário.
Discriminação

A direita precisa de ser racista e machista? /premium

387
Não contem comigo para excluir dos locais de poder – político, económico ou cultural – franjas da população, em prol da já demonstradamente errada crença numa mítica meritocracia que não existe.
Pastel de Nata

A história do pastel de nata. E a nossa. /premium

249
Em 2012, Álvaro Santos Pereira comentou que era estranho não haver internacionalização do pastel de nata, que logo todas as almas bem-pensantes declararam ser impossível de internacionalizar. Viu-se.
Governo

Só na função pública há em idade escolar? /premium

215
Os pais podem ausentar-se duas horas no dia do início da escola dos filhos, tanto no Estado como nas empresas. E essas duas horas ou poderão ser compensadas noutro dia ou ser descontadas (ou não).
10 de junho

O país onde não se pode fazer discursos /premium

128
O ‘cada macaco no seu galho’ não uma ideia consonante com uma democracia, onde se defende que cada macaco pode aspirar a qualquer galho. É antes uma visão do mundo reacionária e antidemocrática
Moda

Deixar a gravata em casa /premium

O mundo financeiro perdeu a aura de conservadorismo e confiança – de que os fatos e gravatas, se possível botões de punho e, sempre, sapatos de atacadores ou fivela eram a regra – com a crise de 2008.
Impostos

No Ministério das Finanças tomam os comprimidos? /premium

649
Qualquer nível de administração pública recorre das ações que perde até ao mais alto tribunal que tiver disponível, a ver se esgota o tempo e o dinheiro para o processo e os advogados da outra parte.
Eleições Europeias

Quo vadis, Direita? /premium

540
A direita pode escolher olhar para estas questões e dar-lhes resposta. Ou pode gozar com quem as levanta. E sobranceiramente querer convencer os votantes que devem aprender é com os seus melhores.
A página está a demorar muito tempo.